Journal Information
Vol. 38. Issue S1.
Pages 8 (October 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 38. Issue S1.
Pages 8 (October 2018)
P105
DOI: 10.1016/j.jcol.2018.08.019
Open Access
POLIPOSE ADENOMATOSA FAMILIAR ASSOCIADA A POLIPOSE GÁSTRICA E NEOPLASIA RENAL
Visits
239
Katyara Rodrigues Fagundes, Italo Filipe Cardoso Amorim, Emerson Abdulmassih Wood da Silva, Luciano Ricardo Pelegrinelli, Aurelio Fabiano Ribeiro Zago, Gustavo Roberto Carvalho Tiveron, Renata Margarida Etchebehere
Hospital de Clínicas, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Uberaba, MG, Brasil
This item has received
239
Visits

Under a Creative Commons license
Article information
Full Text

Introdução: A Polipose Adenomatosa Familiar (PAF) constitui síndrome genética de caráter dominante, associada à mutação no gene APC, com funções na regulação do crescimento e proliferação celular, gerando assim o desenvolvimento de lesões benignas e malignas em diferentes órgãos e com maior predisposição em desenvolver câncer colorretal e outras lesões extracolônicas.

Descrição do caso: Paciente masculino, 51 anos, previamente hígido. Aos 20 anos iniciou quadro de fadiga, hiporexia, astenia e anemia. Realizado transfusões sanguíneas e manteve tratamento clínico por 10 anos com repositores de ferro. Aos 30 anos foi realizado endoscopia digestiva alta (EDA) com evidências de pólipos gástricos. Mantendo a hipótese de anemia ferropriva. Aos 34 anos surgiram episódios de melena, foi realizado enema opaco que sugeriu pseudo pólipos colônicos e gerando dúvida quanto a preparo de cólon irregular. Solicitado colonoscopia que constatou inúmeros pólipos intestinais com biópsias sugestivas de PAF. Diante do diagnóstico foi realizado proctocolectomia total, com anastomose íleo anal com bolsa ileal. Em seguimento foi realizado nova EDA que evidenciou presença de conglomerados de pólipos em corpo e fundo gástrico, de características hiperplásicas, com 17cm de extensão, sem possibilidade de ressecção endoscópica. Apresentava também nódulo renal a direita com 4cm de diâmetro. Optado por realizar gastrectomia total com interposição jejunal (esôfago‐duodeno) e nefrectomia total direita. Anatomopatológico compatível com pólipose gástrica hiperplásica e carcinoma renal papilar tipo I (T1a). No momento o paciente encontra‐se em seguimento ambulatorial.

Discussão: Pólipos gástricos são frequentemente observados na PAF. As lesões gástricas mais encontradas são pólipos de glândulas fúndicas, hiperplásicos e, menos frequentemente, adenomas e carcinoma. Pólipos hiperplásicos maiores que 1cm tem risco de até 20% de degeneração para displasia e devem ser ressecados. Pacientes com PAF apresentam geralmente associação com tumores extracolônicos (desmóides, tireóide, duodenal, adrenal), e no caso em questão apresentou‐se com tumor renal que é raro nesta síndrome.

Conclusão: A PAF possui variados tipos de manifestações extracolônicas que podem acarretar graves prejuízos á saúde do indivíduo, não devendo negligenciar o rastreio de outras patologias mesmo após colectomia.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools
en pt
Cookies policy Política de cookies
To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.