Compartilhar
Informação da revista
Vol. 38. Núm. S1.
Páginas 169-170 (Outubro 2018)
Compartilhar
Compartilhar
Baixar PDF
Mais opções do artigo
Vol. 38. Núm. S1.
Páginas 169-170 (Outubro 2018)
VL12
DOI: 10.1016/j.jcol.2018.08.364
Open Access
EXENTERAÇÃO PÉLVICA COMPLETA POR VIA ROBÓTICA
Visitas
308
Guilherme Cutait de Castro Cotti, Fabricio Ferreira Coelho, Rafael Ferreira Coelho, Rodrigo Jose de Oliveira, Rafael Vaz Pandini, Sergio Carlos Nahas, Ivan Cecconello
Faculdade de Medicina (FM), Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP, Brasil
Este item recebeu
308
Visitas

Under a Creative Commons license
Informação do artigo
Texto Completo
Baixar PDF
Estatísticas
Texto Completo

Introdução: A presença de tumor com invasão de órgãos pélvicos adjacentes em geral representa uma contraindicação para abordagem minimamente invasiva para a maioria dos cirurgiões. O emprego da cirurgia robótica pode representar uma alternativa que permita ofertar as vantagens da cirurgia minimamente invasiva para este grupo de pacientes. O objetivo deste vídeo é demonstrar a realização de uma exenteração pélvica completa por via totalmente robótica.

Descrição do caso: Paciente masculino, 70 anos, com diagnóstico de adenocarcinoma de próstata Gleason 9 submetido à tratamento radioterápico com bloqueio hormonal em 2008. Em 2015 evoluiu com recorrência local, tendo sido submetido à prostatectomia radical robótica. Em 2016 apresentou nova recorrência extensa, tratada inicialmente com quimioterapia. Contudo, evoluiu com fístula urinária para o reto com manifestação clínica por perdas urinárias pelo ânus e infecções urinárias de repetição com sepsis. Após ampla discussão das possibilidades, optado por realização de exenteração pélvica completa por via robótica, a qual foi realizada com sucesso. Demonstra‐se no vídeo as vantagens associadas ao emprego do robô numa abordagem de tumor recidivado na pelve e na reconstrução, com confecção de colostomia úmida. A retirada da peça foi realizada pelo períneo e, desta forma, não houve necessidade de incisão abdominal. O paciente apresentou boa recuperação, tendo recebido alta no 7PO.

Discussão: O emprego da laparoscopia no manejo de pacientes que necessitem de resseções multiviscerais pélvicas esbarra em limitações técnicas. O desenvolvimento e treinamento na cirurgia robótica, com as vantagens da amplitude de movimentos das pinças articuladas parece facilitar a realização deste tipo de procedimento, tanto na fase de ressecção quanto para a reconstrução.

Conclusão: A realização de exenteração pélvica completa por via robótica é procedimento factível nas mãos de equipe multidisciplinar experiente e permite oferecer as vantagens associadas ao acesso minimamente invasivo para pacientes que necessitam de procedimentos de grande porte e alta complexidade, que em geral são realizados por laparotomia clássica.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Receba a nossa Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas
en pt
Cookies policy Política de cookies
To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.