Compartilhar
Informação da revista
Vol. 37. Núm. S1.
Páginas 65-66 (Outubro 2017)
Compartilhar
Compartilhar
Baixar PDF
Mais opções do artigo
Vol. 37. Núm. S1.
Páginas 65-66 (Outubro 2017)
V4‐40
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.282
Open Access
EXPLOSÃO DE CÓLON APÓS USO DE MANITOL PARA PREPARO DE COLONOSCOPIA: RELATO DE CASO
Visitas
1164
Gustavo Kurachia, Doryane Maria dos Reis Limaa, Mauro Willemann Bonattoa, Dayanne Alba Chiumentob, Karina Correa Ebrahimb, Barbara Pereira de Larab, Univaldo Etsuo Sagaea
a Gastroclínica Cascavel, Cascavel, PR, Brasil
b Hospital São Lucas, Cascavel, PR, Brasil
Este item recebeu
1164
Visitas

Under a Creative Commons license
Informação do artigo
Texto Completo
Baixar PDF
Estatísticas
Texto Completo

Introdução: A preparação intestinal para colonoscopia é considerada um fator crucial, intimamente relacionado com a qualidade do procedimento. Para isso, são usados vários agentes e técnicas de limpeza colônica. A explosão colônica durante colonoscopia, embora rara, é uma complicação temida, relacionada ao acúmulo de gás colônico em concentrações explosivas durante o preparo intestinal.

Descrição: Paciente do sexo masculino, 67 anos, encaminhado para a feitura de colonoscopia com polipectomia por achado de pólipo em reto em colonoscopia prévia. Orientado a fazer o preparo para o exame com o protocolo de rotina do serviço – manitol 20%, 500mL via oral no dia anterior ao exame e 500mL na manhã do exame. Durante exame, cólon com preparo inadequado (presença de resíduos fecais), foi identificado pólipo em reto a 10cm do bordo anal. Foi feita polipectomia em alça quando ocorreu explosão do cólon e o colonoscópio foi expulso do reto. Paciente manteve‐se estável, foi levado ao centro cirúrgico imediatamente e feita videolaparoscopia com identificação das perfurações, seguida de retossigmoidectomia, com ressecção de pólipo com margens livres. Paciente com boa evolução após cirurgia, mantém seguimento no serviço.

Discussão: Vários fatores somados culminam na fatalidade da explosão colônica durante colonoscopia. Dentre eles, pode‐se citar a má preparação do cólon antes do procedimento. Outro fator é a existência dos gases hidrogênio e metano em concentrações explosivas, 4% e 5% respectivamente. Esses gases são produzidos pelas bactérias encontradas no lúmen intestinal. Sugere‐se que a degradação bacteriana (pela E. coli) do manitol oral permite a produção de hidrogênio e metano, potencialmente explosivos.

Conclusão: A explosão de cólon durante colonoscopia é uma complicação rara e com necessidade de cirurgia de imediato. Pode ocorrer devido ao acúmulo de gases combustíveis em concentrações explosivas.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Receba a nossa Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas
en pt
Cookies policy Política de cookies
To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.