Compartilhar
Informação da revista
Vol. 37. Núm. S1.
Páginas 66 (Outubro 2017)
Compartilhar
Compartilhar
Baixar PDF
Mais opções do artigo
Vol. 37. Núm. S1.
Páginas 66 (Outubro 2017)
V4‐41
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.283
Open Access
TÉCNICA HÍBRIDA COMO OPÇÃO À RESSECÇÃO ENDOSCÓPICA DE PÓLIPOS COLÔNICOS
Visitas
301
Rommel Costa, Rodrigo Paiva, Fábio Queiroz, Breno Costa, Diogo Silva, Sillas Mourao, Paola Lima
Hospital Felício Rocho, Belo Horizonte, MG, Brasil
Este item recebeu
301
Visitas

Under a Creative Commons license
Informação do artigo
Texto Completo
Baixar PDF
Estatísticas
Texto Completo

A literatura relata que em 25% a 41% das colonoscopias são identificados pólipos adenomatosos, desses, entre 2% e 5% apresentam focos de degeneração maligna. A polipectomia diminui as taxas de incidência e mortalidade por câncer colorretal, a colectomia durante muito tempo foi a única opção quando a técnica endoscópica não era capaz de remover essas lesões. Diante disso, a colonoscopia assistida por laparoscopia emerge como opção para ressecção de pólipos não passíveis de ressecção endoscópica, particularmente quando são grandes, planos ou estão atrás de pregas colônicas.

Objetivo: Apresentar vídeo de um caso de ressecção de pólipo grande por técnica híbrida, a fim de difundir e levantar o debate para padronização dessa técnica.

Discussão: O vídeo representa, em amostragem, a experiência de três casos, com colonoscopias completas prévias, que evidenciavam lesões grandes em ceco; lesões que foram tratadas endoscopicamente por técnica híbrida, foi feita endossutura e corrigida solução de continuidade e liberação de aderências para completar o exame. A polipectomia endoscópica assistida por laparoscopia foi inicialmente relata por Beck e Karulf (1993) e facilita mobilização do cólon, liberação de aderências, que possam levar a angulações, dificulta a progressão do aparelho, além da assistência a polipectomias de lesões grandes. A técnica usa a insuflação de CO2, que é rapidamente absorvido pelos tecidos, não ocasiona distensão volumosa de alças, que dificultam a abordagem laparoscópica.

Conclusão: As técnicas híbridas são, de acordo com a literatura, opções viáveis à ressecção segmentar quando os métodos endoscópicos são insuficientes no tratamento de pólipos.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Receba a nossa Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas
en pt
Cookies policy Política de cookies
To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.