Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 26 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 26 (November 2019)
556
Open Access
Abcesso por perfuração retal após uso de enema aquoso
Visits
...
A.O. Lima, F.Cd.C. Bernardino, N.N.D. Queiroz, V.C. Pinto, V.V. Chiang
Hospital Regional de Ceilândia (HRC), Brasília, DF, Brasil
Article information
Full Text

Área Doenças Anorretais Benignas

Categoria Relatos de caso

Forma de Apresentação Pôster

Objetivo(s) Relatar a importância do conhecimento de tal complicação no uso de enema aquoso retrógrado, dado elevado uso terapêutico e em preparo de exames proctológicos.

Descrição do caso Paciente sexo masculino, 51 anos, portador da doença de Chagas, fora admitido com quadro de dor e sangramento anal há 15 dias de admissão associada a febre e perda ponderal. Inicialmente realizada tomografia de abdome contrastada com achado inespecífico de espessamento parietal focal reto‐vesical, sendo realizada colonoscopia: coto retal com atividade inflamatória intensa 16cm de margem anal, sem outras alterações em exame. Iniciado tratamento com uso de salicilatos tratando de quadro de doença inflamatória intestinal, tratamento que não foi efetivo, sendo iniciada corticoterapia. Após introdução de corticoterapia apresentou melhora clínica parcial, evoluindo após com piora de quadro, presente tumefação glútea as 12 horas com sinais inflamatórios, realizada ressonância de pelve com achado de grande área de perfuração na parede póstero‐lateral de reto, com extravasamento de conteúdo fecaloide para o mesorreto e espaço pré‐sacral, sendo realizada abordagem com drenagem de abcesso e confecção de colostomia protetora em alça. Paciente em pré‐operatório relatou procedimento de esvaziamento por enema há cerca de dois meses. Em pós ‐ operatório atual com melhora de quadro, programação de reconstrução de trânsito e tratamento de fístula anal.

Discussão e Conclusão(ões) Procedimentos e terapêuticas colorretais são usados rotineiramente havendo‐se segurança em afirmar que perfurações são complicações possíveis, principalmente naqueles pacientes com achados de maior vulnerabilidade a quadro, tais como quadro de doença diverticular complicada ou exacerbações de quadros de doença inflamatória intestinal. O diagnóstico do paciente fora postergado pois o mesmo não se recordara de procedimento realizado, assim como ocorre em numerosos pacientes a utilização de tal procedimento contando‐se a utilização recorrente nos pacientes com quadro de constipação crônica, idosos institucionalizados e pacientes restritos a leitos. Exames de imagem em quadros agudos apresentam‐se com maior exuberância de achados contudo em quadros como o citado acima onde a lesão apresentava‐se de forma crônica e com uso de tratamento imunossupressor apresentaram‐se pouco específicos a perfuração iatrogênica relatada, fazendo necessário exame de imagem de maior acurácia para seu diagnóstico. Optado então por tratamento de com confecção de colostomia protetora com drenagem pré‐sacral dada localização de perfuração. Esse relato de caso por fim tem como objetivo acentuar a importância da orientação a realização de procedimento a realização e complicações possíveis.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools