Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 133-134 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 133-134 (November 2019)
504
Open Access
Abscesso retroperitoneal em paciente com doença de crohn em vigência de terapia biológica – relato de caso
Visits
...
M.C. Rodrigues, F. Balsamo, S.D.F. Boratto, S.H.C. Horta, D.F. Santos, D.F. Santos, R.L.G. Slaibi
Faculdade de Medicina do ABC (FMABC), Santo André, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças Inflamatórias Intestinais

Categoria: Relatos de caso

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Relatar caso de abscesso retroperitoneal em paciente com Doença de Crohn em uso de terapia biológica com anti TNF alfa.

Descrição do caso: Mulher, 58 anos, há 10 anos com diagnóstico de Doença de Crohn e em uso de terapia imunobiológica com anti TNF alfa, evoluiu com dor lombar à esquerda há 20 dias, com piora progressiva e irradiação para região de hipogástrio associada a queda do estado geral e inapetência. Sugerida internação para investigação, mas paciente recusou‐se. Internou pela emergência após uma semana com a mesma dor, piora do estado geral e picos febris. Submetida à tomografia computadorizada abdominal, evidenciando coleção em espaço retroperitoneal à esquerda de grande volume, com borramento do músculo psoas ipsilateral, porém não conseguiu descartar o envolvimento de alças intestinais. Iniciada antibioticoterapia com ceftriaxone e metronidazol e submetida à laparotomia exploradora para avaliação das alças intestinais e drenagem. Durante inventário de cavidade evidenciadas aderências cicatriciais e fixas entre alças de delgado sem relação com o retroperitôneo e identificado abaulamento em retroperitôneo à esquerda, rechaçando alças de delgado anterior e medialmente. Realizada incisão em flanco esquerdo e introdução de dreno de pigtail posicionado em loja retroperitoneal e saída imediata de 850mL de secreção purulenta. Cultura revelou tratar‐se de Proteus mirabillis. Paciente evoluiu com choque séptico tratado com suporte clínico, vetilatório e Meropenem por 10 dias. Evoluiu com melhora do estado geral, remissão da loja do abscesso, tendo o dreno sido retirado no 10PO. Foi extubada durante terapia intensiva ainda em vigência de sedação leve e evoluiu com broncoaspiração pulmonar. Introduzida antibioticoterapia com Polimixina B e Teicoplamina porém paciente evoluiu com SARA e óbito por complicações pulmonares no 13 PO.

Discussão e Conclusão(ões): Aceita‐se que até 2% dos pacientes com doença de Crohn apresentem uma perfuração livre. A estenose intestinal progressiva produz um rápido aumento da pressão intraluminal, resultando em perfuração. Cerca de 10% dos pacientes com doença de Crohn apresentam abscessos intra‐abdominais, que ocorrem na parede abdominal, cavidade peritoneal, retroperitôneo, iliopsoas ou espaço subfrênico. Entretanto nem sempre este pode estar relacionado à doença e sim à imunossupressão. Frente à certeza de um quadro de abscesso de retroperitônio, a drenagem é mandatória, seja via percutânea ou abordagem cirúrgica, podendo ser realizada por via abdominal ou mesmo por via retroperitoneal e guiada por exames de imagem.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools