Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 24-25 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 24-25 (October 2017)
TL6‐056
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.355
Open Access
ADALIMUMABE NO MANEJO DA RETOCOLITE ULCERATIVA INESPECÍFICA: RESULTADOS DE UM ESTUDO MULTICÊNTRICO OBSERVACIONAL BRASILEIRO
Visits
...
Patrícia Zachariasa, Rogerio Saad‐Hossneb, Juliano Coelho Ludvigc, Fábio Vieira Teixeirad, Antonio Carlos Moraese, Aderson Omar Mourão Cintra Damiãof, Paulo Gustavo Kotzea
a Hospital Universitário Cajuru, Curitiba, PR, Brasil
b Departamento de Cirurgia Digestiva, Universidade Estadual de São Paulo (Unesp), Botucatu, SP, Brasil
c Espaço de Saúde do Aparelho Digestivo (Esadi), Blumenau, SC, Brasil
d Clínica Gastrosaúde, Marília, SP, Brasil
e Serviço de Gastroenterologia, Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil
f Serviço de Gastroenterologia, Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo (FMUSP), São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: O adalimumabe (ADA) é anticorpo monoclonal, inibidor do TNF alfa, que tem eficácia comprovada na indução e manutenção da remissão na retocolite ulcerativa inespecífica (RCUI) moderada a severa. Há escassez de dados sobre o uso do ADA na RCUI que relatem a experiência na prática clínica em pacientes latino‐americanos, o que motivou o presente estudo.

Objetivo: Analisar as taxas de remissão clínica na indução e manutenção do tratamento da RCUI com ADA.

Método: Estudo longitudinal, analítico, observacional e retrospectivo de uma série de casos de portadores de RCUI moderada a grave que usaram ADA, provenientes de sete centros de referência do Brasil. As variáveis analisadas foram: dados demográficos, uso prévio de infliximabe, medicações concomitantes, vlassificação de Montreal, atividade da doença (classificação de Mayo) nas semanas 0, 8, 26 e 52, ou até o maior tempo de seguimento atingido. Remissão clínica foi definida como escore parcial de Mayo ≤ 2 e foi avaliada pelos métodos NRI e LOCF.

Resultados: Foram incluídos 36 pacientes no estudo. Pela análise LOCF, as taxas de remissão nas semanas 8, 26 e 52 foram de 41,7%, 47,2% e 47,2%, respectivamente. Pela análise NRI, as taxas nas semanas 8, 26 e 52 foram de 41,7%, 41,7% e 27,8%, respectivamente.

Conclusão: ADA foi eficaz no manejo da RCUI moderada a grave. A remissão clínica foi observada em cerca de 40% dos pacientes nas semanas 8 e 26 e em cerca de 1/4 dos pacientes após um ano de seguimento.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools