Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 87-88 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 87-88 (October 2017)
P‐034
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.035
Open Access
ADENOCARCINOMA DE CÓLON SIGMOIDE ASSOCIADO A CISTOADENOMA SEROSO MICROCÍSTICO DE PÂNCREAS: RELATO DE CASO
Visits
...
Diego Palmeira Rangel, Isaac José Felippe Corrêa Neto, Alexander de Sá Rolim, Ngelo Rossi da Silva Cecchini, Anderson de Almeida Maciel, Hugo Henriques Watte, Laercio Robles
Hospital Santa Marcelina, São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: Tumores císticos do pâncreas são geralmente achados incidentais, constituem 5% das neoplasias pancreáticas. A variante mais frequente é a microcística, que consiste em lesão hipoecoica, heterogênea, com septos finos, determina aspecto em “favo de mel”. Os cistoadenomas microcísticos serosos são geralmente benignos e representam 15% dos tumores císticos do pâncreas. Tumores colorretais com lesões sincrônicas extracolônicas ocorrem em cerca de 3 a 5% dos casos, devem sempre ser investigados no estadiamento.

Descrição do caso: Feminina, 68 anos, hipertensa e diabética, com história de dor tipo cólica em hipogástrio, perda ponderal de 12% do peso corporal, hematoquezia e astenia havia seis meses. Exame físico abdominal não apresentou alterações. Fez colonoscopia com presença de lesão estenosante, ulcerada e friável de 5cm de extensão em sigmoide. A biópsia revelou adenocarcinoma. Na avaliação tomográfica de tórax, abdome e pelve observou‐se espessamento concêntrico na transição retossigmoide de 6cm e uma massa de 7 x 5 x 6cm em cauda de pâncreas de aspecto sólido cístico, lobulado com septos em seu interior e antígeno carcinoembrionário de 1,6 ng/mL. Fez vacinação contra germes encapsulados e foi submetidaaà retossigmoidectomia e pancreatectomia corpo caudal com esplenectomia. A histopatologia da retossigmoidectomia revelou adenocarcinoma moderadamente diferenciado infiltrativo, com invasão até tecido gorduroso pericólico, margens livres, com 18 linfonodos ressecados, sem acometimento neoplásico, T3N0M0. A pancreatectomia corpo caudal e a esplenectomia constataram cistoadenoma microcístico seroso do pâncreas de 7 x 7cm com três linfonodos peripancreáticos com hiperplasia linfoide, baço sem anormalidades. Paciente obteve boa evolução e alta hospitalar no sexto dia de pós‐operatório.

Conclusão: O estadiamento oncológico é essencial na avaliação pré‐operatória do câncer colorretal, permite tratamento cirúrgico simultâneo e, por vezes, definitivo da doença oncológica e de outras lesões.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools