Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 162-163 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 162-163 (November 2019)
754
Open Access
Análise comparativa da importância do número de linfonodos dissecados em produtos de cirurgias colorretais oncológicas na definição do estadiamento patológico
Visits
...
T. Robles, M.B.B. Canever, C.N. Martins, R. Deliza, E.V.A. Pereira, S.A. Ciquini
Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC‐Campinas), Campinas, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças malignas e pré‐malignas dos cólons, reto e ânus

Categoria: Pesquisa básica

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Analisar de forma comparativa o número de linfonodos dissecados em espécimes cirúrgicas oncológicas em diferentes serviços de patologia e sua importância na definição do estadiamento da doença neoplásica maligna colorretal.

Método: Analisou‐se de forma retrospectiva do período de fevereiro de 2017 a junho 2019 em Serviço de Coloproctologia de hospital universitário, os resultados fornecidos pelo Serviço de Patologia da mesma instituição comparando‐se com os realizados por laboratório externo privado. Todos os pacientes foram operados com diagnóstico prévio de adenocarcinoma, de maneira eletiva, com técnica cirúrgica convencional seguindo os princípios oncológicos de bloco único com linfonodos mesenteriais e mesorretais pela mesma equipe cirúrgica. Foram incluídos os resultados histopatológicos de peças cirúrgicas oncológicas num total de 83 cirurgias, das quais 78 (93,9%) analisadas no serviço de patologia institucional universitário e 5 (6,1%) em laboratório externo privado.

Resultados: A análise dos resultados demonstrou a proporção de 51,8% (43) mulheres e 48,2% (39) homens, com média de idade de 63,25 anos variando de 26 a 88 anos. Os procedimentos realizados foram a retossigmoidectomia (49,4%), a hemicolectomia/colectomia segmentar (31,3%), a amputação abdomino‐perineal do reto (14,5%) e a colectomia total (4,8%). A média de linfonodos dissecados pelo Serviço de Patologia do hospital foi de 12,4 (1–29) e pelo laboratório externo foi de 36,4 (15–88). Todos os resultados externos (100%) continham mais de 12 linfonodos dissecados e pelo hospital somente 58,9% das peças cirúrgicas obtiveram este índice diagnóstico. A maioria dos linfonodos acometidos foi encontrada quando dissecados mais de 12 linfonodos (76,9%). O comprometimento linfonodal confirmado foi encontrado em 10 (19,6%), dos 51 pacientes com mais de 12 linfonodos identificados, enquanto que em apenas 4 casos dos 32 (12.5%), com menos de 12 linfonodos dissecados.

Conclusão(ões): Conclui‐se a importância da boa qualidade do estudo histopatológico visando a obtenção de estadiamento preciso e contribuindo para a definição de plano terapêutico adequado as necessidades do doente oncológico.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools