Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 209 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 209 (November 2019)
452
Open Access
Análise crítica das complicações ocorridas nas cirurgias de fechamento de ileo e colostomia no hospital são vicente de paulo na cidade de jundiaí no período de 2012 a 2018
Visits
...
N.A.P. Chagas, E.H. Uramoto, R.P. Lima, A. Venancio, S.R. Neto
Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ), Jundiaí, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área: Miscelâneas

Categoria: Estudo clínico não randomizado

Forma de Apresentação: Tema Livre (apresentação oral)

Objetivo(s): Avaliar e analisar criticamente as complicações da cirurgia de reconstrução de trânsito intestinal bem como apresentar os dados epidemiológicos referentes ao perfil dos pacientes ostomizados no período de 2012–2018 em hospital terciário.

Método: Análise retrospectiva dos prontuários dos pacientes submetidos à cirurgia de fechamento de enterostomia em Hospital terciário, de janeiro 2012 a junho de 2018. Critérios de inclusão: todos pacientes que foram submetidos ao seguinte procedimento: “Fechamento de Enterostomia, qualquer segmento” no período de 2012 a julho 2018. Desta seleção foi obtido um total de 80 pacientes (n).Foram avaliados os 80 prontuários retrospectivamente seguindo formulário pré‐estabelecidos. Os dados foram inseridos e processados em tabela de Microsoft Excel correlacionando os dados estatisticamente. Para o segundo objetivo do trabalho, a amostragem foi submetida a uma avaliação epidemiológica sob o ponto de vista de frequência, correlacionando principalmente idade, indicação, sexo, permanência na UTI, comorbidades, tipo de anastomose, existência de complicação.Os critérios analisadas foram faixa etária, comorbidades, preparo do cólon, tipo de anastomose, intervalo entre as cirurgias e tempo de internação hospitalar. Utilizando o teste de Qui‐Quadrado podemos analisar se as categóricas tiveram relação com o desfecho complicação.

Resultados: Foram incluídos 80 pacientes no estudo, sendo 35 (43,8%) do sexo feminino e 45 (56,2%) do sexo masculino. A média de idade foi de 54 anos, sendo a máxima 83 anos e a mínima 17 anos. A indicação mais frequente foi Ileostomia de proteção de anastomose (30%), seguido de Malignidade (20%), Diverticulite (11%) e Abdome Agudo Obstrutivo (10%). As comorbidades mais frequentes foram Hipertensão Arterial Sistêmica e Diabetes Melitos. Na avaliação apresentada, 49,5% não apresentavam comorbidades. O tipo de ostomias mais prevalentes foram: Hartmann 31,2%, seguido da ileostomia terminal 28,8% e ileostomia em alça 23,8%. O uso de dreno foi realizado em 51 cirurgias (64,5%), e ao correlacionar com complicação obtivemos significância estatística. O tempo de internação variou entre 2 a 60 dias, sendo na média de 11 dias, enquanto que o tempo médio de duração da cirurgia foi de 4 horas com mínimo de 1h e no máximo de 8h, o intervalo médio entre as cirurgias foi de 1,7 anos, desde 6 dias até 6,5 anos. Dos pacientes submetidos a reconstrução do trânsito, 37.5% obtiveram algum grau de complicação, destes 73% foram considerados complicações de média e alta severidade. Quanto ao tempo de internação obtivemos p=0,02, concluindo como já esperado que quanto maior o tempo de internação, maior suscetibilidade para complicações, levando ‐se como premissa apresentam complicações agudas.

Conclusão(ões): Este estudo demonstra que as reconstruções de íleo e colostomia em um hospital terciário de Jundiaí apresentou uma taxa de complicação de 37.7%, sendo que destes, 52% era por reconstrução de trânsito por Hartmann.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools