Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 216 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 216 (November 2019)
485
Open Access
Análise da metagenômica da flora intestinal em portadores de câncer colorretal e indivíduos saudáveis
Visits
...
L.B.A. Slapelis, M.J.A. Saad, A. dos Santos, D. Guadagnini, H.B. Assalin, L.H.L. Tomiato, D.O. Magro, C.S.R. Coy
Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças malignas e pré-malignas dos cólons, reto e ânus

Categoria: Estudo clínico não randomizado

Forma de Apresentação: Tema Livre (apresentação oral)

Introdução: Todos os anos, aproximadamente 1,2 milhões de pessoas são diagnosticadas com câncer colorretal no mundo. Acúmulo de substâncias oxidantes, associado a desordens genéticas promovem desenvolvimento de lesões displásicas e neoplásicas.

Objetivo: Descrever as alterações da microbiota em pacientes com diagnóstico de neoplasia colorretal esporádico, em relação a indivíduos saudáveis.

Método: Amostras fecais de portadores de adenocarcinoma colorretal (Grupo 1) e indivíduos saudáveis (Grupo 2) foram processadas, extraindo-se o 16S RNA e análise em banco de dados metagenômico a fim de determinar o padrão de microbiota individual dos participantes. Foi considerado além das variáveis clínicas, o estádio TNM (2018).

Resultados: Foram avaliados 28 pacientes (grupo 1) e 23 controles saudáveis (grupo 2). Não ocorreu diferença em relação à distribuição de sexo (p=0,275), idade (p=0,292), IMC (p=0,56), tabagismo (p=0,515), tipo de parto (p=0,089), tempo de amamentação (p=0,751), zona de residência (rural ou urbana) (p=1,00) e escolaridade (p=0,182). Segundo a Classificação TNM, 14% foram classificados como estádio 0 (in situ), 28,6% estádio I, 10,7% estádio IIA, 10,7% estádio IIB, 3,6% estádio IIC, 3,6% estádio IIIA, 17,9% estádio IIIB, 7,1% estádio IIIC e 3,6% estádio IV. Comparando-se a microbiota no âmbito dos gêneros, no grupo 1, houve maior percentagem de Prevotellas e Fusobacterium e no grupo 2, predominam Bacteroides, Megaminas e Pseudobutyrivibrio. Em relação às espécies, houve diferença significativa com maior quantidade de Prevotella Copri (p=0,043), Bacteroides Fragilis (p=0,05), Faecalibacterium Prausnitzii (p=0,009), Fusobacterium Nucleatum (p=0,032) no grupo 1 e maior abundância de Bacteroides Vulgatus (p=0,001), Bacteroides Stercoris (p=0,031), Lachnospira Pectinoschiza (p=0,016) no grupo 2. A espécie Akkermansia Muciniphila, relacionada a saúde dos enterócitos na maioria dos trabalhos, não apresentou diferença entre os grupos. Houve correlação inversa entre estadiamento do câncer e Prevotella Copri (p=0,019), Lachnospira Pectinoschiza (p=0,041), Faecalibacterium Prausnitzii (p=0,016), ou seja, quanto maior o estadiamento clínico, menor quantidade dessas espécies.

Conclusão(ões): Houve diferença no padrão de microbiota intestinal entre indivíduos com câncer colorretal e saudáveis. Observou-se diversidade na quantidade de algumas espécies de bactérias em relação ao estádio TNM.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools