Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 203 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 203 (November 2019)
679
Open Access
Análise epidemiológica dos pacientes no momento do diagnóstico de câncer colorretal do hospital das clínicas de goiânia‐go de 2009 a 2019. qual a idade ideal para iniciar rastreio oncológico?
Visits
...
P.I. Calegari, A. Nasser Junior, H. Moreira Junior, C.P. Oliveira, B.I. Silva, I.V. Martins, K.A.S. Oliveira, L.F. Cavallini
Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças malignas e pré‐malignas dos cólons, reto e ânus

Categoria: Pesquisa básica

Forma de Apresentação: Tema Livre (apresentação oral)

Objetivo(s): De acordo com as recentes publicações na literatura médica relacionadas ao rastreio para o câncer colorretal, verificou‐se que há uma tendência mundial para uma maior abrangência de faixa etária devido ao aumento da incidência em adultos com menos de 50anos. Já é consensual na sociedade médica americana o rastreio oncológico a partir dos 45anos para que haja não só detecção precoce, mas também prevenção.

Método: Esta análise epidemiológica buscou avaliar o perfil de pacientes em seguimento ambulatorial no Serviço de Coloproctologia do Hospital das Clínicas Goiânia‐GO, através de registro das consultas em prontuários, no período de janeiro de 2009 a janeiro de 2019. De acordo com os arquivos hospitalares, havia 5636registros de prontuários para o ambulatório de Onco‐Coloproctologia nesse período. Excluindo‐se prontuários sem dados suficientes para a pesquisa, restaram 1653consultas devidamente registradas.

Resultados: Observou‐se que 51,8% dos pacientes são do sexo masculino. Em relação a faixa etária, 21,95% dos pacientes apresentavam menos que 50anos quando receberam o diagnóstico. O principal sítio de acometimento foi o reto, com 39,8%, seguido de cólon esquerdo e sigmoide, com 35,7%. Pacientes com acometimento do cólon direito representaram 18,7%. Em relação a História Familiar, apenas 12,2% relataram parentes com algum acometimento, sendo que em 39,2% dos prontuários, não havia registros de histórico familiar oncológico. Avaliando desde a primeira consulta até o retorno com exames de estadiamento, 25% dos pacientes já apresentavam metástases. Do total de prontuários avaliados, 3,9% apresentaram K‐RAS mutado. Se considerarmos pacientes com 50anos até menores que 60anos, o percentual de acometimento é de 21,75%. Ou seja, são pacientes que apresentam nesta faixa etária neoplasia maligna já estabelecida, cura etiologia possa ter iniciado até 10anos antes, através da evolução de um pólipo adenomatoso, que poderia ser visualizado e ressecado por colonoscopia, impedindo este ciclo. E, se considerar a faixa etária de pacientes abaixo de 60anos, esse percentual se eleva para 43,7%. Isso mostra que para uma melhor triagem e eficácia do rastreio oncológico, com objetivo de não só prevenir, mas também identificar lesões em estágios menos avançados de doença, é necessário redução da faixa etária de início de triagem.

Conclusão(ões): Diante do exposto, considerando significativo que mais de 40% dos pacientes são menores que 60anos no momento do diagnóstico, seria interessante a redução do início do rastreio para câncer colorretal para 45anos. Culminando dessa forma, com diagnósticos nas formas precoces e maiores chances de desfechos favoráveis.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools