Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 148-149 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 148-149 (October 2017)
P‐175
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.176
Open Access
APENDICITE AGUDA PÓS‐COLONOSCOPIA
Visits
...
Emerson Abdulmassih Wood da Silvaa, Katyara Rodrigues Fagundesa, Natália Maria Jacom Abdulmassih Wooda, Larissa Jacom Abdulmassih Woodb, Luciano Ricardo Pelegrinellia, Aurélio Fabiano Ribeiro Zagoa, Paula Lutffala Pessoaa
a Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Uberaba, MG, Brasil
b Centro Universitário São Camilo, Belo Horizonte, MG, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A apendicite aguda constitui a causa mais frequente de abdômen agudo inflamatório e provavelmente é a doença cirúrgica mais comum no abdômen. Tem vários fatores causais, porém a colonoscopia não é pensada de rotina.

Descrição do caso: Paciente de 72 anos, sexo feminino, foi submetida a uma colonoscopia para rastreamento de neoplasia colorretal. Fez o preparo do cólon com manitol sem intercorrência e a colonoscopia mostrou‐se sem alterações significativas. Após 12 horas do exame, começou a apresentar dor abdominal de caráter progressivo na fossa ilíaca direita. Como não apresentou melhoria, iniciou‐se investigação diagnóstica que comprovou um apêndice cecal inflamado com sinais de perfuração na ponta. A paciente foi prontamente operada pelo método videolaparoscópico e toda a cirurgia documentada em vídeo.

Discussão: No caso em questão, a causa da apendicite como sendo pela colonoscopia se firmou pelo fato de a faixa etária da paciente não apresentar frequência dessa doença, pela rápida evolução do quadro clínico logo após o exame feito e os achados de um apêndice inflamado com sinais de perfuração pelo aumento da pressão intraluminal do órgão e sem outras possíveis causas para a apendicite aguda. Houve aproximadamente 14 casos relatados na literatura inglesa desde 1988. Entre os casos relatados, a idade média era de 54,4 anos, a proporção entre homens e mulheres era de 10:1 e o início dos sintomas variou entre 12h a cinco dias. As possíveis explicações para a apendicite pós‐coloscopia são: intubação direta do lúmen apendicular, edema local e obstrução do lúmen secundário à lesão da mucosa em torno do orifício apendicular, barotrauma, penetração de fecalitos dentro do lúmen, bombeados através do colonoscópio, e doença subclínica do apêndice.

Conclusão: Embora a apendicite pós‐colonoscopia seja rara, ela deve ser considerada em pacientes com dor em fossa ilíaca direita após o exame.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools