Journal Information
Vol. 38. Issue S1.
Pages 135 (October 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 38. Issue S1.
Pages 135 (October 2018)
TL38
DOI: 10.1016/j.jcol.2018.08.290
Open Access
ASPECTOS EMOCIONAIS RELACIONADOS A PACIENTES COM DOENÇAS INFLAMATÓRIAS INTESTINAIS: UM ESTUDO AMBULATORIAL
Visits
...
Bruno Lorenzo Scolaro, Matheus Copi Kimura, Everson Fernando Malluta, Daniel Cury Ogata, Barbara Tortato Piasecki
Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Itajaí, SC, Brasil
Article information
Full Text

Objetivo: Avaliar a prevalência dos aspectos emocionais em pacientes portadores de doenças inflamatórias intestinais (DII) atendidos em um ambulatório multidisciplinar.

Método: Foram analisados 75 pacientes portadores de DII, acompanhados a nível ambulatorial, de maio de 2017 a maio de 2018. Foram incluídos pacientes com confirmação diagnóstica de DII com idade superior a 18 anos. Gestantes ou nutrizes foram excluídos. Para a caracterização dos dados amostrais foi utilizada análise descritiva por meio do cálculo de média e desvio‐padrão, quartis para as variáveis quantitativas e frequências e proporções para as qualitativas. Através de pesquisa analítica, prospectiva e de corte transversal a coleta foi realizada através da aplicação do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, Protocolo Sociodemográfico e Clínico, Escala de Imagem Corporal (BIS) e Escala de Autoestima de Rosenberg.

A BIS avalia a preocupação relacionada com a imagem corporal. Nela são avaliados aspectos afetivos, comportamentais e cognitivos. Constituída por 10 questões, respondidas numa escala de Likert de quatro pontos, variando de 0 (nada) a 3 (muito). A pontuação total varia entre 0 e 30, sendo que pontuações mais elevadas indicam maior preocupação com as alterações na imagem corporal resultantes da doença e/ou dos tratamentos. A escala de Rosenberg é um método unidimensional capaz de quantificar o nível de autoestima em baixo, médio ou alto. Constituída por 10 itens, sendo 5 referentes a uma visão positiva de si mesmo e 5 referentes a uma visão autodepreciativa. A pontuação varia de 10 a 60 pontos e o escore é diretamente proporcional ao nível de autoestima. Pontuações < 26 indicam uma autoestima baixa, valores entre 26 e 35 indicam autoestima média e pontuação > 35 indica autoestima alta.

Resultados: O sexo feminino mostrou‐se predominante (60%) e a média de idade dos pacientes foi de 49,96 anos, variando de 20 a 78 anos. Não fumantes compuseram 96% da amostra. Em relação às DII, a DC mostrou‐se mais prevalente (61,3%). Na escala de BIS, a pontuação geral que obteve maior frequência foi zero, compondo 29,3% da amostra. Na Escala de Rosenberg, 92% apresentaram o nível de autoestima “Alta” e nenhum paciente foi classificado com baixa autoestima.

Conclusão: Ao constatar que 92% dos pacientes apresentaram autoestima alta e que 29% afirmaram que em nada a doença teria alterado sua autopercepção corporal, observamos a importância do atendimento multidisciplinar no ambulatório de DlI.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools