Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 112 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 112 (November 2019)
463
Open Access
Associação da doença de crohn com criptococose intestinal ‐ Relato de caso
Visits
...
L.C. Linsa, M.Ád.F.L. Netoa, A.Bd.S. Augustinhoa, L.H.A.S. Filhoa, J.C.P. Juniora, A.L.M. Netob
a Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Maceió, AL, Brasil
b Centro Universitário Tiradentes (UNIT), Maceió, AL, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças Inflamatórias Intestinais

Categoria: Relatos de caso

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Descrever uma rara associação entre a imunodeficiência na doença inflamatória intestinal com criptococose intestinal, uma infecção oportunista.

Descrição do caso: Paciente sexo masculino, 31anos, apresenta quadro de diarreia crônica, perda ponderal acentuada (aproximadamente 20kg) e tumoração em flanco direito há aproximadamente 1 ano. ultrassonografia em que foi verificado formação expansiva na região íleo‐cecal sugestivo de carninomatose. O paciente foi submetido a laparotomia exploradora em que foi identificado grande tumor em cólon direito infiltrando o reto, cavidade com muitos gânglios de cadeia paraaórtica, foi realizada derivação íleo‐tranverso latero‐lateral em dois planos e biópsia de cólon que apresentou processo inflamatório crônico granulomatoso sugestivo de criptococose e sem sinais de neoplasia na amostra. Paciente evoluiu com fístula enterro‐cutânea drenando secreção digestiva com trânsito livre. Ele foi admitido no em um hospital escola de doenças infectoparasitárias em grave estado geral, apresentando anemia severa, caquético, febril, com queixa de dor abdominal intensa, astenia generalizada e fístula drenando restos alimentares. Aos cuidados da infectologia iniciou ceftriaxone e metronidazol. Além disso, realizou colonoscopia que apresentou compatibilidade com doença de Crhon ativa e subestenose de colón direito e tomografia computadorizada de abdome que demonstrou lesões hipodensas nos segmentos V e VI do fígado, sugerindo processo infeccioso ou implantes, vesícula de conteúdo denso no interior e processo expansivo acometendo o ceco com espessamento parietal com densificação da gordura perientérica e adenomegalias retroperitoneais. Ainda nesse serviço fez uso de Anfotericina B em dias alternados e iniciou esquemas para controle da doença de Crohn com predinisona e metronidazol. Após estabilizado, foi transferido para um hospital universitário referência em doença inflamatória intestinal. Paciente sem sinais de gravidade, porém ainda desnutrido, quadro diarréico e com fístula funcionante. Foi indicado novo procedimento cirúrgico com ileocolectomia direita com ressecção da fístula enterocutânea, e mantida a anastomose íleo‐transversa prévia. O histopatológico foi compatível com criptococose intestinal, íleo colite crônica ulcerativa associada.

Discussão: Síndromes de imunodeficiência são susceptíveis de infecções por cryptococcus neofformans (criptococose). A maioria dos pacientes tem envolvimento neurológico envolvido, por exemplo a meningite, e menos frequente de acometimento respiratório. O envolvimento gastrointestinal é raro, com poucos casos descritos na literatura.

Conclusão: O relato de caso mostra uma associação da doença inflamatória intestinal (Doença de Crohn) com a criptococose intestinal.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools