Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 200-201 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 200-201 (November 2019)
656
Open Access
Associação entre escore de constipação adaptado para uso em crianças e adolescentes e sintomas do trato urinário inferior
Visits
...
G.E. de Abreu, A.P.D.S. Schmitz, U. Barroso Junior
Centro de Distúrbios Miccionais na Infância (CEDIMI), Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador, BA, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças Intestinais funcionais e Doença Diverticular dos cólons

Categoria: Estudo clínico não randomizado

Forma de Apresentação: Tema Livre (apresentação oral)

Objetivo(s): Avaliar a correlação entre a gravidade da constipação funcional, conforme determinado pelo escore de constipação modificado para crianças e adolescentes e a gravidade dos sintomas do trato urinário inferior em crianças/adolescentes, bem como avaliar a correlação entre este sistema de pontuação modificado e os critérios de Roma IV.

Método: Trata‐se de um estudo transversal com pacientes com idade entre 5 a 17 anos com sintomas do trato urinário inferior com ou sem CF. Pacientes com anormalidades neurológicas e/ou anatômicas do trato geniturinário e/ou gastrointestinal foram excluídos. Meninas com Disfunctional Voiding Symptom Score (DVSS) ≥ 6 e meninos com DVSS ≥ 9 foram diagnosticados com disfunção do trato urinário inferior (DTUI). Pacientes com pelo menos dois critérios de Roma positivos foram considerados constipados. A gravidade da CF foi observada de acordo com a pontuação do escore constipação adaptada para criança e adolescente.

Resultados: Dos 128pacientes com sintomas do trato urinário inferior, 71 (55,5%) eram do sexo feminino. A DTUI foi detectada em 107 pacientes (83,6%) e foi mais comum em meninas. CF estava presente em 80pacientes (62,5%). Crianças com constipação apresentaram maiores escores de constipação e DVSS. Houve uma correlação moderada entre o escore de constipação e o DVSS (þ=0,5, p<0,001) e forte entre o referido escore e um maior número de sintomas positivos dos critérios de Roma IV (þ=0,7, p<0,001).

Conclusão(ões): A intensidade da CF medida pelo escore de constipação modificado correlacionou‐se com a gravidade dos sintomas urinários em crianças/adolescentes com sintomas do trato urinário inferior/DTUI. Em pacientes com constipação, houve uma correlação entre o escore de constipação modificado e os critérios de Roma IV. Em pacientes não constipados, o escore de constipação identificou sintomas/sinais de disfunção intestinal não detectados pelos critérios de Roma IV. Finalmente, o escore de constipação modificado para uso em crianças e adolescentes pode ser importante para fins de pesquisa e, particularmente, pode ter uma importância prognóstica.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools