Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 118 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 118 (October 2017)
P‐103
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.104
Open Access
ATIVIDADE DA DOENÇA DE CROHN E SUA INTERAÇÃO COM FECUNDIDADE E GESTAÇÃO: RELATO DE CASO E REVISÃO DA LITERATURA
Visits
...
Karina Kendra Mar Marques, Juliana Lima Toledo, Barbara Bianca Linhares Mota, Marley Ribeiro Feitosa, Rogério Serafim Parra, Omar Féres, José Joaquim Ribeiro da Rocha
Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), Universidade de São Paulo (USP), Ribeirão Preto, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A doença inflamatória intestinal (DII) comumente acomete indivíduos em idade reprodutiva. Em mulheres, pode haver interação entre a doença e fertilidade.

Relato do caso: Mulher, 30 anos. Doença de Crohn (DC) havia oito anos, com comprometimento ileal, colônico e perianal, em uso de azatioprina. Encaminhada devido a refratariedade clínica e infertilidade. Ao exame encontrava‐se em estado geral regular, emagrecida e hipocorada. Hemodinamicamente estável. À palpação do abdômen notava‐se plastrão doloroso na fossa ilíaca direita, sem sinais de irritação peritoneal. Colonoscopia e enema opaco mostraram obstrução da flexura hepática e sinais de fístula do delgado com o cólon transverso. Optou‐se por tratamento cirúrgico, que evidenciou obstrução do cólon por massa tumoral no ângulo esplênico e plastrão inflamatório do delgado com múltiplas fístulas entero‐entéricas e fístula do delgado com o cólon transverso. Foram feitas enterectomia segmentar e colectomia direita, com íleo‐transverso anastomose. A análise do espécime cirúrgico confirmou do diagnóstico de DC, sem neoplasia maligna. Trinta dias após a cirurgia, foi iniciada terapia anti‐TNF. Atualmente encontra‐se em remissão clínica, laboratorial e endoscópica da DC. Recuperou a fertilidade sem tratamento específico e encontra‐se gestante, em seguimento conjunto com a obstetrícia, sem intercorrências.

Discussão: O processo inflamatório da DC pode levar a comprometimento das tubas uterinas, disfunção ovariana e dispareunia. Na doença grave, pode‐se observar anorexia e amenorreia secundaria. Apesar de 80% das gestações se desenvolverem normalmente, existe risco aumentado de eventos adversos, como parto prematuro e baixo peso ao nascimento. A maioria das medicações para o tratamento do DC pode ser mantida durante a gestação.

Conclusão: O controle adequado da atividade inflamatória pode diminuir a interferência da DC na fecundidade e nos efeitos adversos durante a gestação.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools