Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 37 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 37 (October 2017)
TL8‐084
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.383
Open Access
AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DA COLONOSCOPIA COMO DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE ENTERORRAGIAS
Visits
...
Fernanda Mendonça, André Santos, Geislane Santos, Joana Pessoa, João Silva, Tássia Franco, Carlos Mendes
Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), Salvador, BA, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A hemorragia digestiva baixa (HDB) é responsável por 20% das hemorragias digestivas. É mais comum no sexo masculino e em idosos. Clinicamente caracteriza‐se por hematoquezia, enterorragia e melena. Nesse contexto, tem‐se a colonoscopia como importante exame para identificação da fonte do sangramento, assim como para tratamento.

Objetivo: Correlacionar a clínica de enterorragia com os diagnósticos mais prevalentes observados na colonoscopia e avaliar a eficácia do método no diagnóstico e tratamento. Existem poucos dados sobre o assunto na literatura.

Métodos: Estudo retrospectivo, de corte transversal, a partir de laudos de colonoscopia de pacientes atendidos em serviço de referência no tratamento de hemorragia digestiva na Bahia, de janeiro de 2016 a junho de 2017.

Resultados: Dentre os 971 pacientes do estudo, 332 apresentavam HDB como indicação para o exame, 91 por enterorragia; 56 eram do sexo masculino, 35 do feminino e 71 tinham idade maior ou igual a 50 anos. Dos casos presentes de enterorragia, a doença diverticular (DD) (22 pacientes) foi a principal causa. As demais causas de enterorragia, em ordem decrescente de prevalência, foram doença hemorroidária (DH) (14 pacientes), angioectasias/angiodisplasia (nove), pólipos colônicos e doença inflamatória intestinal em investigação (cada um com sete), neoplasia colônica e varizes retais (cada um com quatro). Oito exames foram concluídos como normais. A literatura mostra que a DD é a grande causa de HDB, seguida de DH, neoplasias e angiodisplasias. Tivemos apenas dois casos de enterorragia secundária, pós‐polipectomia, os quais foram tratados com clip, e sete casos de angioectasias tratados com plasma de argônio. Em um caso foi identificado resíduo hemático no trajeto, porém sem sangramento ativo.

Conclusão: O exame de colonoscopia se mostra eficaz para identificar a causa e oferecer tratamento adequado, quando assim for necessário.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools