Journal Information
Vol. 38. Issue S1.
Pages 2 (October 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 38. Issue S1.
Pages 2 (October 2018)
P03
DOI: 10.1016/j.jcol.2018.08.006
Open Access
AVALIAÇÃO DE SINTOMAS DE INCONTINÊNCIA FECAL E IMPACTO NA QUALIDADE DE VIDA EM MULHERES ADULTAS
Visits
...
Pedro José Guimarães Cardoso, Matheus Duarte Massahud, Suyanne Thyerine da Silva Lopes, Gabriella Oliveira Lima, Ilson Geraldo da Silva, Fabio Gontijo Rodrigues, Patrícia Costa Sant‘Ana
Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A incontinência fecal é uma queixa com grande impacto na qualidade de vida. Sua causa é multifatorial, seu diagnóstico é subestimado, e sua prevalência crescente com a idade. Com o crescimento da população mundial de idosos, haverá um aumento desse sintoma em 59% no período de 2010 a 2050. Procurar métodos de aumento na detecção desse problema é necessário para o tratamento adequado e melhora de qualidade de vida desses pacientes.

Métodos: Aplicação de questionários de qualidade de vida e gravidade/frequência dos sintomas em mulheres adultas, nulíparas e multíparas, que procuram atendimento médico em ambulatório de coloproctologia e ginecologia/obstetrícia por outras causas que não incontinência fecal.

Resultados e discussão: Foram entrevistadas 100 pacientes sendo 54 provenientes dos ambulatórios de ginecologia e obstetrícia e 46 provenientes dos ambulatórios de coloproctologia. As idades variam de 15 a 86 anos. Das pacientes entrevistadas 30% eram solteiras, 43% casadas, 8% viúvas, 9% divorciadas e 9% outro estado civil. Interrogadas as escolaridades encontramos: 2% analfabetas, 32% ensino fundamental incompleto, 12% ensino fundamental completo, 13% ensino médio incompleto, 25% ensino médio completo, 10% ensino superior incompleto e 5% ensino superior completo. Foram encontrados sintomas de incontinência fecal em 40% das mulheres entrevistadas. Sendo considerada 63% leve, 29% moderada e 8% grave. A pontuação obtida pelo questionário de qualidade de vida variou de 39 a 119.

Conclusão: A sistematização de métodos de rastreamento da incontinência fecal, juntamente com a conscientização dos profissionais de saúde e informação à população é de extrema importância para adequado diagnóstico e tratamento dos pacientes, impactando na melhora da qualidade de vida da população afetada.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools