Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 8-9 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 8-9 (October 2017)
TL2‐018
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.317
Open Access
AVALIAÇÃO DO PAPEL DA TERAPIA NEOADJUVANTE NA FUNÇÃO ANORRETAL EM PORTADORES DE CÂNCER DE RETO
Visits
...
Claudia Luciana Fratta, Sandro Nunes Angelo, Lilian Vital Pinheiro, Daniela Oliveira Magro, Maria Lourdes Ayrizomo, Carlos Augusto Real Martinez, Claudio Saady Rodrigues Coy
Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A quimiorradioterapia neoadjuvante (QRN) no câncer de reto associa‐se com redução da recidiva local e maiores índices de preservação esfincteriana. A ressecção do reto é frequentemente acompanhada por graus variados de disfunção evacuatória. Devido aos potenciais distúrbios funcionais pós‐operatórios, torna‐se necessário o estudo dos mecanismos envolvidos nessas alterações.

Objetivo: Avaliar a função anorretal por manometria em portadores de adenocarcinoma retal antes e após QRN.

Método: Pacientes com adenocarcinoma do reto foram submetidos à manometria com sistema de perfusão pneumo‐hidráulico com cateter axial de oito canais, antes e oito semanas após QRN. Foram avaliadas a pressão anal média de repouso e a pressão máxima de contração voluntária em 17 doentes. Os enfermos foram divididos em dois grupos segundo a altura da lesão, em relação à linha pectínea: grupo 1<3cm e grupo 2>3cm. Empregou‐se o escore de Jorge‐Wexner para a avaliação do grau de incontinência.

Resultados: A idade média foi de 63,47±9,12 anos, 84,2% eram homens e 64,7% eram brancos. O IMC foi de 29,59±5,05kg/m2. A avaliação pré‐neoadjuvância evidenciou que os pacientes do grupo 1 apresentaram pressão média de repouso de 60,78±4,21mmHg e do grupo 2 54,00±18,10mmHg. Após tratamento ambos os grupos apresentaram queda da pressão de repouso, grupo 1 (40,64±7,8mmHg, diminuição de 20,14±9,18mmHg; p=0,008) e grupo 2 (35,88±12,9mmHg diminuição de 18,11±20,17mmHg; p=0,010). Quanto à contração voluntária máxima, a avaliação pré QRN evidenciou pressão de: grupo 1 120,76±27,91mmHg, grupo 2 152,49±58,98mmHg. Após tratamento ambos os grupos apresentaram aumento nos valores de contração grupo 1 (162,60±37,81mmHg aumento de 22,04±10,43mmHg; p=0,009), grupo2 (190,88±43,52mmHg aumento de 21,69±20,19mmHg; p=0,003).

Conclusão: O emprego de QRN associou‐se com redução dos valores de pressão média de repouso e aumento dos valores de pressão média de repouso e aumento da pressão máxima de contração do canal.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools