Journal Information
Vol. 38. Issue S1.
Pages 155-156 (October 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 38. Issue S1.
Pages 155-156 (October 2018)
TL80
DOI: 10.1016/j.jcol.2018.08.332
Open Access
AVALIAÇÃO DOS EFEITOS PROTETORES DO SUCRALFATO NO CONTEÚDO TECIDUAL DAS PROTEÍNAS E‐CADERINA, B‐CATENINA, CLAUDINA‐3, OCLUDINA, ATIVIDADE ANTI‐INFLAMATÓRIA E ANTIOXIDANTE NA MUCOSA CÓLICA DESPROVIDA DE TRÂNSITO INTESTINAL
Visits
...
Bruna Zini de Paula Freitas, José Aires Pereira, Danilo Toshio Kanno, Paula Cristina Steffen Novelli, Fábio Guilherme Campos, Carlos Augusto Real Martinez
Hospital Universitário São Francisco, Universidade São Francisco (USF), Bragança Paulista, SP, Brasil
Article information
Full Text

As junções intercelulares representam um dos principais constituintes da barreira epitelial cólica e podem estar danificadas na colite experimental. As junções de oclusão do epitélio cólico são formadas pelas proteínas da família das claudinas e ocludina, enquanto as junções aderentes pelas proteínas E‐caderina e β‐catenina. Estudos mostraram que existe redução no conteúdo dessas proteínas em modelo experimental de colite de exclusão (CE). O sucralfato (SCF) vem sendo utilizado há várias décadas para o tratamento de diferentes formas de colite. Os efeitos do SCF na manutenção do conteúdo tecidual das proteínas existentes nas junções de oclusão e de aderência do epitélio intestinal nunca foram avaliados em modelos de CE.

Objetivo: Avaliar os efeitos protetores da aplicação tópica do sucralfato no conteúdo tecidual das proteínas claudina‐3, ocludina, E‐caderina, β‐catenina, atividade anti‐inflamatória e antioxidante na mucosa cólica com CE.

Método: Trinta e seis ratos foram submetidos ao desvio do trânsito intestinal por colostomia proximal e fístula na mucosa distal. Os animais foram divididos em três grupos após terem recebido enemas diários com solução fisiológica (SF), SCF 1,0g/kg/dia ou 2,0g/kg/dia. Cada um desses grupos experimentais foram divididos em dois subgrupos, a eutanásia foi realizada após 2 e 4 semanas. A intensidade do processo inflamatório tecidual foi avaliada utilizando escala de inflamação previamente validada. As proteínas das junções foram identificadas por técnica imunohistoquímica utilizando‐se anticorpos monoclonais específicos para cada uma. Para comparar resultados obtidos entre os grupos utilizou‐se testes estatísticos.

Resultados: A intervenção do cólon excluso de trânsito intestinal com SCF, na concentração de 2,0g/kg/dia por 4 semanas, diminuiu o escore inflamatório e mostrou‐se relacionada a concentração utilizada e ao tempo de intervenção. A intervenção com SCF, em ambas concentrações utilizadas aumentou o conteúdo das proteínas das junções independentemente da concentração utilizada. Não houve variação no conteúdo tecidual das demais proteínas estudadas com o tempo de intervenção.

Conclusões: A aplicação de enemas com SCF reduz o escore inflamatório e o infiltrado neutrofílico, e preserva o conteúdo tecidual das proteínas estudadas sugerindo que a substância possua efeito protetor das junções intercelulares em modelo de colite de exclusão.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools