Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 74 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 74 (October 2017)
P‐004
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.005
Open Access
CÂNCER DE NOVO: REALIDADE OU MITO?
Visits
...
Emerson Abdulmassih Wood da Silvaa, Natália Maria Jacom Wood da Silvaa, Larissa Jacom Abdulmassih Woodb, Katyara Rodrigues Fagundesa, Luciano Ricardo Pelegrinellia, Aurélio Fabiano Ribeiro Zagoa, Paula Lutffala Pessoaa
a Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Uberaba, MG, Brasil
b Centro Universitário São Camilo, Belo Horizonte, MG, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: O câncer colorretal sabidamente tem como origem de um pólipo intestinal. Esse pólipo em algumas situações leva muitos anos para se tornar maligno. Isso permite que com a colonoscopia de rotina esses pólipos possam ser retirados antes de se transformar em tumores malignos.

Descrição do caso: Paciente de 56 anos, sexo masculino, foi submetido a uma apendicectomia videolaparoscopia sem intercorrências. Como o ceco apresentava‐se bastante inflamado e por rotina pela faixa etária, depois de 40 dias da cirurgia o paciente fez colonoscopia, que se apresentou normal. Após dois anos de cirurgia, persistia com dor na fossa ilíaca direita e fez nova colonoscopia com resultado normal. Um ano mais se passou e começou a ficar anemiado. Nova colonoscopia foi solicitada e então diagnosticada volumosa massa em ceco. O exame anatomopalógico confirmou tratar‐se de um adenocarcinoma. Foi feita uma colectomia direita oncológica por videolaparoscopia com boa evolução clínica.

Discussão: O câncer de intestino grosso, segundo a maioria dos autores, inicia‐se de um pólipo adenomatoso que lentamente evolui para um tumor maligno. Diante disso, os nossos pacientes recebem uma informação de segurança de poder fazer o exame de colonoscopia em determinado intervalo de anos e com isso fazer a sua prevenção do câncer colorretal. O presente caso vem contra essa falsa sensação de segurança.

Conclusão: A clínica do paciente nunca deve ser desprezada mesmo com exames de colonoscopia prévios normais.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools