Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 139 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 139 (November 2019)
256
Open Access
Características manométricas de pacientes com distúrbios evacuatórios em um ambulatório terciário de coloproctologia
Visits
...
H.P. Camargo, J.J.R. Rocha, O. Feres, R.S. Parra, V.F. Machado, A.B. Filho, M.R. Feitosa
Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), Universidade de São Paulo (USP), Ribeirão Preto, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças do assoalho pélvico/Fisiologia Intestinal e Anorretocólica

Categoria: Estudo clínico não randomizado

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Caracterizar os principais achados manométricos em um laboratório de fisiologia anorretal de um Hospital Universitário de Ribeirão Preto.

Método: Trata‐se de estudo retrospectivo, a partir de prontuários eletrônicos de pacientes submetidos à manometria anorretal, de janeiro de 2015 a maio de 2019. Foram coletadas informações clínico‐epidemiológicas e os principais parâmetros manométricos. Para análise dos dados, utilizou‐se o programa SPSS statistics versão 20. O presente trabalho foi aprovado pela Unidade de Pesquisa Clínica da instituição.

Resultados: Foram analisados 290 exames de manometria. A maioria dos pacientes era do sexo feminino (185‐63,8%) e com média de idade de 45 anos±23. As principais indicações para o exame foram: incontinência fecal (173‐59,7%) e constipação intestinal (87‐30%). Na maior parte dos exames foram encontradas alterações (288‐99,3%). Os principais achados foram: pressão de repouso diminuída (105‐36,2%), pressão de contração do esfíncter externo diminuída (131‐45,2%), pressão de contração voluntária diminuída (184‐63,4%), comprimento do canal anal funcional curto (136‐ 46,9%), sensibilidade retal diminuída (197‐67,9%) e capacidade retal diminuída (67‐23,1%). Outros distúrbios encontrados foram: fadiga do esfíncter anal (70‐24,1%), obstrução da via de saída (47‐16,2%), déficit de prensa abdominal (28‐9,7%), lesão de esfíncter anal (9‐3,1%) e contração paradoxal da musculatura anal (6‐2,1%).

Conclusão(ões): Observou‐se elevado índice de incontinência fecal justificado por alterações manométricas compatíveis.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools