Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 8 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 8 (November 2019)
782
Open Access
Cirurgia citorredutora em carcinomatose peritoneal por recidiva de câncer colorretal: relato de caso
Visits
...
N.F. Rodrigues, M.C.R. Araújo, T.C. Maia, M.R. da Costa, E.A. Rolim, R.D. Escalante, A.G. Marques, S.M.M. Regadas
Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, CE, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças malignas e pré‐malignas dos cólons, reto e ânus

Categoria: Relatos de caso

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Relatar a realização de cirurgia citorredutora para tratamento de carcinomatose peritoneal devido à recidiva de câncer colorretal (CCR).

Descrição do caso: Em julho de 2015, R.S.R.L., 48 anos, foi submetida: omentectomia parcial e retossigmoidectomia videolaparoscópica, com anastomose colorretal duplo‐grampeada e quimioterapia (QT) adjuvante com FLOX, devido a um CCR, classificado em pT3pN2. Após um ano, a paciente apresentou queixa de dor em abdome inferior, realizando tratamento com ciprofloxacino. Realizou ultrassonografia abdominal, que mostrou: útero miomatoso, nódulos sólidos em abdome inferior, com lesão sólida entre útero e reto, presença de líquido livre no espaço retovesical. Assim, foi levantada a hipótese de recidiva pélvica. Então, foi realizada uma retossigmoidoscopia flexível, detectando a recidiva, com tumor estenosante em descendente distal e histopatológico de adenocarcinoma moderadamente diferenciado. Realizou também ressonância magnética de pelve, evidenciando: alterações morfológicas uterinas, correspondendo a prováveis leiomiomas; espessamento parietal colônico distal de forma difusa e inespecífica; coleção líquida de paredes espessadas, com áreas de realce nodular no recesso peritoneal suprapúbico. O aspecto foi sugestivo de implantes peritoneais secundários. Em junho de 2018, a paciente foi internada e submetida a: Colectomia esquerda+histerectomia+omentectomia+esplenectomia+peritoniectomia+metastectomia hepática+drenagem de tórax à direita+reimplante ureteral esquerdo. Atualmente, a paciente segue estável e em acompanhamento com a oncologia clínica.

Discussão: A neoplasia colorretal é a terceira mais frequente no mundo, sendo a segunda causa mais frequente de mortalidade associada a câncer. Estima‐se que 40% dos pacientes com câncer colorretal (CCR) evoluem com carcinomatose peritoneal (CP). Cerca de 30% dos pacientes acometidos por CCR têm como causa primária de morte a CP. A cirurgia citorredutora é uma modalidade de tratamento existente, consistindo em extirpação cirúrgica de todos os depósitos tumorais intraperitoneais visíveis, podendo ser realizado até ressecções viscerais. Além disso, tem‐se utilizado a quimioterapia intraperitoneal e suas diversas modalidades para o tratamento da CP. Estudos recentes comprovam o aumento na perspectiva de cura e diminuição da morbimortalidade para os pacientes submetidos à cirurgia citorredutora associada à quimioterapia intraperitoneal hipertérmica.

Conclusão: Vê‐se, portanto, que apesar dos importantes avanços na aplicação de novos tratamentos para a CP de origem colorretal, ainda há necessidade de estudos mais elucidativos e padronizados sobre tema. Na literatura, não existem protocolos de tratamento padrão para a aplicação da citorredução, fazendo com que a indicação deste procedimento seja individualizada.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools