Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 172-173 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 172-173 (October 2017)
P‐233
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.234
Open Access
CIRURGIA DE HARTMANN COM NECESSIDADE DE ABERTURA DE DUAS OSTOMIAS POR QUADRO DE MEGACÓLON IDIOPÁTICO
Visits
...
Pedro Henrique Lourenço Borges, Daniel Irigaray de Assumpção, Carlos Kayser, Marcelo Fabris, Eduardo Hubner
Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), Canoas, RS, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: Volvo de Sigmoide é uma patologia intestinal de origem mecânica em que ocorre torção do cólon sigmoide ao redor do seu ponto de fixação mesentérico. Dentre os diferentes tipos de volvo intestinais existentes, é o mais comum, é também a terceira causa de obstrução de intestino grosso no Ocidente.

Descrição do caso: Paciente masculino, 72 anos, com volvo do intestino grosso submetido à cirurgia de Hartman em dezembro de 2014. Em outubro de 2015, internou para refazer o trânsito intestinal. No enema opaco não se identificava lesão orgânica nos cólons e a distância entre as extremidades distal e proximal visualizada era pequena. Paciente em bom estado geral, sem queixas e sem alterações laboratoriais. Após a cirurgia, apresentou quadro de megacólon idiopático, foi necessária intervenção de urgência para nova colostomia descompressiva e ileostomia. Evoluiu com deiscência de sutura. Recebeu cuidados especiais e nutrição parenteral. Evoluiu bem, recebeu alta, sem queixas, com a ileostomia e a colostomia funcionantes, aceitou dieta oral. Após dois meses, retornou com novos exames laboratoriais sem alterações, com cicatrização por segunda intenção que continha boa quantidade de tecido de granulação e sem sinais flogísticos. Exame físico sem alterações.

Discussão: O volvo de sigmoide é a terceira causa mais comum de obstrução do intestino grosso. Quando não tratado, pode levar a complicações como isquemia e perfuração. A cirurgia de Hartmann permite a reconstrução eletiva do trânsito intestinal geralmente dentro de 30 a 80 dias, reduz, portanto, o risco de fuga anastomótica e morbidade global.

Conclusão: A cirurgia de Hartmann é o procedimento de escolha por permitir a reoperação do paciente em melhores condições cirúrgicas. Entretanto, não é muito comum a necessidade de abertura de duas ostomias nesse tipo de procedimento.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools