Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 44 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 44 (November 2019)
335
Open Access
Cisto epidermoide pré sacral: revisão de literatura e relato de caso
Visits
...
V.H. Figueiraa, F.P. Gomesb, A.J.T. Alves Juniorb, H. Samartine Juniorb, G.Z. Teixeiraa, G.Y. Kucharskia, S.O. Bancib, J.A. Reis Netob
a Hospital PUC‐Campinas, Campinas, SP, Brasil
b Clínica Reis Neto, Campinas, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área Doenças Anorretais Benignas

Categoria Relatos de caso

Forma de Apresentação Pôster

Objetivo(s) Realizar revisão da literatura e relatar um caso de cisto epidermoide pré sacral.

Descrição do caso Masculino, 68 anos, tumoração em região lombar há dois anos. Nega sinais inflamatórios ou infecciososno local ou manipulação cirúrgica prévia. Ao exame físico presença de nodulação de aproximadamente 8cm de diâmetro, bem delimitada, amolecida, móvel, com enduração palpável ao centro, sem sinais flogísticos, toque retal inalterado. US de partes moles demonstrou formação sólida hipoecogênica bem delimitada 4,7 x 1,4 x 4,8cm sem vascularização ao doppler colorido. Submetido a ressecção de tumoração em região coccígea por acesso posterior, sem intercorrências. Lesão removida de maneira integral com sua cápsula íntegra. Material enviado para anatomopatológico e imuno‐histoquímica. Anatomopatológico macroscópico demonstrou superfície externa lisa e, aos cortes, havia conteúdo pastoso amarelado e áreas adensadas e esbranquiçadas. O estudo histológico revelou lesão cística de epitélio multi‐estratificado, epidermoide. A parede da lesão cística apresentava células pavimentosas ou poligonais grandes. Verificou‐se elementos lamelares, queratinizantes no conteúdo cístico, além de granulomas do tipo corpo estranho. A imuno‐histoquímica utilizou os seguinte marcadores: vimentina (positivo), BG8‐Lewis (negativo), calcitonina (negativo), AE1/AE3 (negativo. Controle interno positivo), e actina HUC (negativo. Controle interno positivo). Estabelicido o diagnóstico de lesão cística de padrão epidermoide.

Discussão e Conclusão(ões) Cistos epidermoides são lesões benignas localizadas na região pré sacral, com característica de serem uniloculados, encapsulados de origem ectodérmica de origem congênita ou traumática. Constituem‐se de epitélio escamoso estratificado com queratina porém sem apêndices cutâneos. Os tumores da região pré sacral são vários devido a sua origem embriológica, sendo este o local de fusão de vários órgãos do tubo digestivo. Podem ser classificadas em císticas (dermoide, epidermoide e mucossecretoras) e sólidas (teratomas e cordomas). Cistos epidérmicos são lesões raras, sendo mais comum em mulheres com freqüência entre 0,9 e 12,5% de todos os tumores pré sacral. Podem apresentar‐se desde assintomáticos até serem diagnosticadas erroneamente como cisto pilonidal e fístulas perianal. Sintomas como tumoração em região sacral, alteração do hábito intestinal, sinais flogísticos e saída de secreção em região sacra são descritos. USG e TC apresentam boa indicação em casos de tumores com grandes dimensões. O tratamento é cirúrgico. A via de acesso pode ser posterior, abdominal ou combinada. A escolha varia de acordo com localização, contato com estruturas adjacentes e localização da lesão, sendo a via posterior a mais adotada. Cistos epidermoides da região sacra são lesões pouco frequentes, que por diversas vezes são erroneamente diagnosticados. Seu tratamento consiste em ressecção completa da lesão tendo caráter curativo e evitando complicações.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools