Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 140 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 140 (October 2017)
P‐155
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.156
Open Access
COLONOSCOPIAS FEITAS EM IDADE INFERIOR AOS 50 ANOS – ANÁLISE DE 335 EXAMES
Visits
...
Joaquim José Oliveira Filho, Gustavo Seva Pereira, Paula Buozzi Tarabay, William Mateus Coutinho Hilbig, Julia Mayumi Gregorio, Flavio Queiroz Silva, Paula Srebernich Pizzinato
Hospital Municipal Dr. Mario Gatti, Campinas, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A colonoscopia está usualmente pouca indicada abaixo dos 50 anos, é restrita a algumas situações. Raramente é usada para pacientes sem história familiar de neoplasia e sintomatologia pobre relacionada ao trato digestivo. Sua indicação está bem estabelecida quando da presença de sinais e sintomas suspeitos de afecções coloproctológicas, tais como doença inflamatória intestinal, diagnóstico diferencial de síndromes diarreicas, síndromes polipoides, entre outros.

Objetivo: Avaliar os achados de colonoscopias em idades inferiores a 50 anos (A) e compará‐los com o grupo de idade acima de 50 anos (B), observar ainda a indicação para o exame pela faixa etária.

Material e métodos: Foram avaliadas 1.403 colonoscopias feitas pela equipe de coloproctologia de um hospital público de Campinas (SP), em seis anos, 335 abaixo de 50 anos; 12 pacientes foram excluídos por história de polipose familiar. A partir dos dados obtidos foram avaliados também os motivos do exame, bem como os achados endoscópicos encontrados.

Resultados: De 1.403 casos avaliados, 23,86% eram de usuários abaixo dos 50 anos, 127 homens e 208 mulheres. Os principais motivos para o exame foram: suspeita de doença inflamatória intestinal (14,02%), alteração do hábito intestinal (12,23%) e seguimento por achados em exames anteriores (11,9%). Pólipos foram encontrados em 26,56% no grupo A e 26,49% no grupo B. Neoplasias colorretais foram encontradas em quatro pacientes no Grupo A (1,19%) e 92 no Grupo B (8,05%). Outra afecção muito prevalente, a doença diverticular dos cólons, foi encontrada em 8,05% no Grupo A e em 51,31% no Grupo B.

Conclusão: O achado de incidência semelhante de pólipos nos dois grupos impõe uma atenção maior ao grupo estudado e uma qualificação nos dados. A incidência de neoplasias é semelhante aos achados da literatura.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools