Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 122 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 122 (October 2017)
P‐112
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.113
Open Access
CONCOMITÂNCIA DE DOENÇA DE CROHN E DIVERTÍCULO DE MECKEL: A PROPÓSITO DE UM CASO
Visits
...
Adrieli Heloisa Campardo Pansania, Daniel de Castilhoa, Sabryna de Lacerda Werneckb, Thiago da Silveira Manzioneb, Lucas de Sena Lemeb, Carlos di Tommasob, Carlos Augusto Real Martineza
a Universidade São Francisco (USF), São Paulo, SP, Brasil
b Hospital da Luz, São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: Divertículo de Meckel (DM) é uma malformação congênita presente em 2% da população. A coexistência entre DM e doença de Crohn (DC) é incerta. Alguns acreditam que existe aumento na incidência de DM em portadores da DC, enquanto outros sugerem que a incidência é semelhante à da população geral. Na maioria dos casos o achado é incidental.

Objetivo: Apresentar caso de abdômen agudo obstrutivo por DC com achado incidental de DM.

Relato do caso: Homem, 23 anos queixava‐se de dor abdominal em cólica e parada da eliminação de gases e fezes havia um dia. O abdômen apresentava‐se distendido com ruídos hidroaéreos diminuídos e dor à palpação no flanco direito sem descompressão brusca. A tomografia computadorizada do abdômen evidenciou estenose irregular no íleo terminal com 2cm de extensão associada a densificação dos planos adiposos e adjacentes. Encontrou‐se ainda distensão difusa de alças jejunoileais, com formação de níveis hidroaéreos, linfonodomegalia na região ileocecal e líquido livre na pelve. Colonoscopia evidenciou estenose impérvia de válvula ileocecal. Feitas biópsias. Após três dias de tratamento clínico indicou‐se laparotomia exploradora por pioria do quadro obstrutivo. A laparotomia evidenciou em região ileocecal extenso bloqueio inflamatório e intensa linfonodomegalia locorregional. Durante a revisão dos demais segmentos de intestino delgado, encontraram‐se 20cm a montante do ponto de estenose presença de DM. Diante dos achados optou‐se por ileotiflectomia inclusive o DM com anastomose primária mecânica. O anatomopatológico confirmou a presença de DC e não evidenciou presença de metaplasia gástrica no DM. O doente evolui bem e recebeu alta no quinto dia de pós‐operatório.

Conclusão: Existência de DM concomitante com DC geralmente é achado incidental. A melhor opção cirúrgica é a ressecção do DM, com o objetivo de evitar futuras complicações relacionadas à malformação.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools