Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 154 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 154 (October 2017)
P‐187
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.188
Open Access
CONTRIBUIÇÃO DA MANOMETRIA ANORRETAL NA AVALIAÇÃO DA CONSTIPAÇÃO INTESTINAL CRÔNICA
Visits
...
Eduardo de Paula Vieira, Mariama Barroso Lima, Ricardo Rosa, Lucas Perello de Azevedo, Rosane Louzada Machado, Ferraz Edna Delabio, João de Aguiar Pupo Neto
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A constipação intestinal crônica é um termo que representa sintomas de diferentes etiologias e fisiopatologias, sua prevalência varia de 2 a 30% da população ocidental. Não existe uma definição única para constipação, o que leva a uma grande discrepância na condução propedêutica e terapêutica. Recentemente, em um consenso de especialistas, foram postulados alguns critérios para a sua definição (critérios de Roma II). Dentre vários exames para a avaliação da constipação, a manometria anorretal é o mais usado.

Objetivo: Avaliar retrospectivamente os pacientes com diagnóstico de constipação crônica submetidos a esse exame.

Material e métodos: Foram avaliados, retrospectivamente, 69 pacientes, com queixas de constipação, enviados para manometria anorretal e testes de sensibilidade, capacidade e expulsão de balão intrarretal.

Resultados: Houve um amplo predomínio do sexo feminino com 71,01% dos pacientes adultos (49). Foram avaliados 10 crianças/adolescentes (média de 8,8 anos), com suspeita de megacólon congênito, apresentaram um predomínio do sexo masculino (77,77%). Observamos: oito pacientes tiveram o exame normal; pressão de repouso aumentada em 11 pacientes e diminuída em cinco; pressão de contração aumentada em oito e diminuída em quatro; zona de alta pressão diminuída em seis; sensibilidade (threshold) aumentada em oito e diminuída em 18; capacidade retal aumentada em 11 e diminuída em cinco; contração muscular paradoxal ao esforço para evacuar em 13; teste de expulsão do balão negativo em 12. No grupo de pacientes com suspeita de megacólon congênito oito tiveram a confirmação com reflexo inibitório negativo.

Conclusão: Os achados da manometria anorretal orientam a conduta no paciente constipado, pode ser sugerido que essa avaliação seja feita inicialmente em todos esses pacientes.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools