Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 64 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 64 (October 2017)
V4‐36
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.278
Open Access
CORREÇÃO DO PROLAPSO MUCOSO RETAL ASSIMÉTRICO COM GRAMPEADOR ANAL CIRCULAR
Visits
...
Ana Paula Della Justina Volpato, Fernanda Letícia Cavalcante Miacc, Maria Cristina Sartor, Antônio Sérgio Brenner, Antônio Baldin Jr
Hospital de Clínicas, Universidade Federal do Paraná (HCUFPR), Curitiba, PR, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: O prolapso mucoso retal pode apresentar‐se de maneira simétrica, quando o prolabado tem o mesmo comprimento circunferencialmente, ou assimétrica. A principal sintomatologia associada é sangramento anal, incontinência fecal e dor. O tratamento cirúrgico do prolapso mucoso é feito por diversas técnicas operatórias, o procedimento de Delorme e a ressecção transanal do reto grampeada são os mais empregados. Outras técnicas são a mucosectomia manual e a mucosectomia grampeada circular (PPH). Dentre as vantagens da mucosectomia grampeada: menor dor pós‐operatória, menor tempo de internamento, rápido retorno laboral e maior satisfação do paciente.

Objetivo: Descrever e demonstrar com vídeo a correção do prolapso mucoso assimétrico através da mucosectomia grampeada circular.

Descrição da técnica cirúrgica: Paciente em posição de litotomia sob anestesia raquidiana. Identificado prolapso mucoso retal circunferencial assimétrico de 2cm nos quadrantes direitos e 1cm à esquerda. Feita sutura circular da mucosa e submucosa com fio monofilamentar distando 2cm da linha pectínea na hemicircunferência esquerda e 3cm à direita. Acoplado grampeador anal circular (PPH) de 33mm no canal anal. Amarrada sutura circular após adequado ajuste do tecido mucoso retal dentro da zona de grampeamento. Feita mucosectomia grampeada. À inspeção final, identificado excesso de mucosa no quadrante posterior esquerdo, que não prolabava, mas que poderia ser local de recidiva do prolapso, optou‐se, então, por retopexia local.

Resultado: Paciente recebeu alta no primeiro dia de pós‐operatório. Reavaliado após uma e três semanas da cirurgia, apresentou dor de baixa intensidade sem necessidade do uso de analgesia de horário. Sem queixa de incontinência ou dificuldade de evacuação.

Conclusão: Para uma adequada mucosectomia grampeada circular é necessário que algumas técnicas sejam respeitadas, como a simetria da sutura da mucosa. Entretanto, podemos adaptar algumas técnicas a fim de alcançar um melhor resultado cirúrgico naqueles pacientes com prolapsos que fogem do padrão para o qual o material foi desenvolvido.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools