Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 138 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 138 (November 2019)
475
Open Access
Correlação entre a prevalência de pólipos colorretais em paciente sem história e com história familiar de câncer colorretal
Visits
...
B.B.F. Soares, M.T.C.C. Oliveira, G.O.S. Fernandes, R.G.L. Barreto, M.T. Pinto, N.C. Mota, G.B.M. Oliveira, J.B.P. Barreto
Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HUUFMA), São Luís, MA, Brasil
Article information
Full Text

Área: Métodos complementares diagnóstico e terapêutica

Categoria: Pesquisa básica

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Avaliar a prevalência de pólipos em pacientes assintomáticos submetidos a colonoscopia para rastreamento comparando os pacientes com história familiar de câncer colorretal com os sem história familiar.

Método: Estudo de corte transversal realizado em um grupo de indivíduos submetidos à colonoscopia entre janeiro 2015 e abril 2019. Os pacientes foram distribuídos em dois grupos: Grupo I (GI): sem história familiar de câncer colorretal e Grupo II (GII): com história familiar em parentes de primeiro grau. Avaliaram‐se características demográficas, achados na colonoscopia, presença, localização e tipo histológico dos pólipos, comparando os dois grupos.

Resultados: Foram avaliados 142 pacientes, destes 52 (37%) do sexo masculino e 90 (63%) do sexo feminino. Em 120 (84%) colonoscopias, o cólon foi completamente visualizado e em 63% o preparo foi bom e ótimo. Foram incluídos 127 pacientes no GI e 15 no GII. Foram encontradas lesões polipoides em 32 pacientes (22,5%), sendo 31 (24%) no Grupo I e 1 (7%) no Grupo II, não havendo diferença estatística entre os grupos (p=0,19). A localização principal dos pólipos foi em cólon descendente (32%), seguida de reto (27%), sigmoide (25%), ascendente (7%), ceco (4,5%) e cólon transverso (4,5%). A distribuição dos pacientes com pólipos não foi similar em relação ao sexo, sendo evidenciado pólipos no Grupo I em 17 (21%) pacientes do sexo feminino vs. 14 (29%) masculino (p=0,29) e no Grupo II, presença de pólipo em apenas 1 paciente do sexo masculino (20%) e nenhum no sexo feminino (p=0,33). No GI, tiveram 43 pólipos, sendo 19 (44%) adenomatosos, 23 (53%) hiperplásicos, 01 (3%) serrilhado. No GII, teve 01 pólipo do tipo serrilhado. A prevalência de adenomas não foi similar em ambos os grupos.

Conclusão(ões): Neste estudo inicial, não foi encontrada correlação entre a prevalência de pólipos e o histórico familiar de câncer colorretal.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools