Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 145 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 145 (October 2017)
P‐167
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.168
Open Access
DADOS ESTATÍSTICOS DOS PROCEDIMENTOS COLONOSCÓPICOS FEITOS PELA EQUIPE DA COLOPROCTOLOGIA DE UM HOSPITAL TERCIÁRIO PAULISTA
Visits
...
Gustavo Lisbôa de Braga, Danilo José Munhoz, Tamara Durci Mendes, Mabel Cristhina Rodrigues da Silveira, Aline Nunes Amaro, João Gomes Netinho, Francisco de Assis Gonçalves Filho
Hospital de Base, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp), São José do Rio Preto, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A colonoscopia é considerada um dos métodos diagnósticos e terapêuticos mais empregados nas últimas décadas, justificado pela alta incidência de alterações colorretais. Sua importância encontra‐se na prevenção do câncer colorretal (CCR), com a detecção, remoção e acompanhamento de pólipos, identificação de diverticulose, alterações inflamatórias dos cólons e angiodisplasias. Juntamente com a importância diagnóstica está a variedade de intervenções colonoscópicas possíveis, como biópsias, ressecções, demarcações de lesões através de tatuagens e cauterização com plasma de argônio. Poucas são as revisões das características dos exames, dos achados e procedimentos feitos por médicos em treinamento, em serviços de ensino.

Objetivo: Análise de exames endoscópicos baixos feitos no serviço de coloproctologia de um hospital de ensino do oeste paulista.

Métodos: Revisão retrospectiva, através de prontuário, de colonoscopias e retossigmoidoscopias flexíveis, feitas entre janeiro de 2016 e maio de 2017, no serviço de coloproctologia local. As variáveis categóricas foram apresentadas na forma de proporção e as variáveis contínuas, como média e desvio‐padrão. Para análise estatística, foi usado o programa IBM SPSS Statistics 23.

Resultados: Observaram‐se 577 exames endoscópicos baixos, dos quais 491 foram colonoscopias (90,8% completas) e 86 retossigmoidoscopias flexíveis, com um preparo adequado em 92,2% dos exames; 65% da amostra apresentavam comorbidades, doença inflamatória intestinal foi a principal indicação para o exame. Foram feitos procedimentos em 318 desses, dos quais em 203 foram polipectomias (67,2% dessas com pinça de biópsia), quatro cromoscopias, 16 cauterizações com plasma argônio, 29 tatuagens com tinta nanquim e 210 biópsias. Três pacientes apresentaram complicações graves: sangramento, laceração de sigmoide e perfuração de reto, os dois últimos evoluíram para tratamento cirúrgico.

Conclusão: São inúmeros os benefícios alcançados com exames endoscópicos baixos, desde o diagnóstico ao tratamento. No entanto, complicações graves são possíveis, principalmente quando feitos em pacientes de serviços especializados, com múltiplas comorbidades e médicos em treinamento.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools