Journal Information
Vol. 38. Issue S1.
Pages 106 (October 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 38. Issue S1.
Pages 106 (October 2018)
P85
DOI: 10.1016/j.jcol.2018.08.228
Open Access
DESAFIOS DO DIAGNÓSTICO DE DOENÇA DE CROHN DURANTE A TERCEIRA IDADE: RELATO DE CASO
Visits
...
Fernanda da Conceição Lopes, Alexandre Andrade da Silva Cherão, Amanda Dias Ferrante Maia, Natália Belló Maciel, Lucas Rodrigues Boarini, Idblan Carvalho de Albuquerque
Hospital Heliópolis, São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: Doenças inflamatórias intestinais, doença de Crohn (DC) e retocolite ulcerativa (RCU), são doenças idiopáticas do trato gastrointestinal. A DC apresenta bimodalidade nas taxas de incidência, o primeiro pico ocorre entre 15 e 29 anos e o segundo pico ocorre entre 55 e 59 anos. Aproximadamente 10 a 20% dos casos de doença inflamatória intestinal (DII) são diagnosticados após 60 anos de idade. Em função da alta prevalência de condições mimetizando a DII na velhice, o diagnóstico da DII nessa faixa etária é freqüentemente atrasado. Este trabalho descreve um caso de DC em paciente idoso enfatizando a dificuldade em realizar o diagnóstico.

Relato de caso: Masculino, 79 anos, atendido no serviço de coloproctologia de um hospital terciario do Estado de São Paulo. Há cinco meses com hematoquezia, mucorréia e orifício perianal com saída de secreção purulenta. Antecedente de HAS e angioplastia para colocação de “stent” cardíaco há 20 anos, nefrectomia e esplenectomia por neoplasia renal há 20 anos. O exame proctológico evidenciou fissuras fistulizadas em posição posterior, anterior e lateral esquerda associadas a orifício fistuloso lateral direito. A colonoscopia evidenciou colite esquerda com mucosa hiperemiada e de aspecto calceteado. Foram realizadas fissurectomias e fistulotomia. A análise anátomo patológica das lesões perianais e colorretal evidenciou processo inflamatório ativo, úlcerado, associado a granulomas epitelióides bem formados, não caseificantes, com células gigantes multinucleadas tipo Langhans. Após o DC foi encaminhado ao ambulatório para iniciar tratamento clínico‐medicamentoso específico.

Conclusão: O diagnóstico de doença de Crohn na população idosa é um desafio em decorrência das inúmeras comorbidades associadas e diagnóstico diferenciais possíveis.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools