Journal Information
Vol. 38. Issue S1.
Pages 99 (October 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 38. Issue S1.
Pages 99 (October 2018)
P69
DOI: 10.1016/j.jcol.2018.08.212
Open Access
DESCOBERTA DE TUMOR COLORRETAL E COMPLICAÇÕES À LAPAROTOMIA EXPLORATÓRIA: RELATO DE CASO
Visits
...
Amanda Cristina de Souzaa,b, Jéssica Danicki Prado Fernandesa,b, Ana Carolina Gomes Siqueiraa,b, Ana Luiza Alves Nicolettia,b, Letícia Reis Kalumea,b, Matheus Moreno de Oliveiraa,b, José de Ribamar Ramos Netoa,b
a Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), Brasília, DF, Brasil
b Hospital Regional de Planaltina, Brasília, DF, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: O câncer (CA) colorretal está muito associado à obstrução intestinal (OI), uma vez que o seu crescimento e processo inflamatório associado geram estenose de segmentos do cólon e possível obstrução. Essa obstrução gera um acúmulo de fezes na região, aumentando a tensão sobre as paredes do intestino, o que pode levar à isquemia e evoluir para necrose e perfuração.

Descrição do caso: J.L.R.S., masculino, 57 anos, alcoólatra, chegou ao pronto socorro com dor abdominal intensa, principalmente em fossa ilíaca direita. Ao exame físico, não apresentou sinais de peritonite. A radiografia abdominal apresentou sinais sugestivos de perfuração intestinal, sendo indicada laparotomia exploratória (LE), realizada quatro horas depois por ausência de anestesista no momento. Na cirurgia foi constatado: tumor provocando estenose em ângulo esplênico, estenose de ângulo hepático de origem inflamatória, além de necrose e perfuração de ceco. Foi realizada colectomia total com ileostomia. No 3° dia de pós‐operatório (DPO) houve necrose da ostomia, sendo realizada nova LE com reconstrução da ileostomia. No 3° DPO da reconstrução da ileostomia, o paciente apresentava evolução arrastada e sinais de infecções da ferida cirúrgica. Nos seis dias seguintes, procedeu‐se com duas trocas da antibioticoterapia, porém o paciente evoluiu com insuficiência respiratória e foi encaminhado para o box de emergência, pois não havia leitos na unidade de terapia intensiva. Após algumas horas, contudo, evoluiu para óbito.

Discussão e conclusão: A perfuração do ceco ocorrida pode ser explicada por três teorias, a mecânica, a mais aceita, em que a obstrução intestinal leva à separação das camadas musculares, perfuração intestinal e consequente peritonite. A da vascularização em que a tensão gerada pela obstrução causa compressão dos vasos e isquemia. E a infecciosa tóxica em que ocorre invasão da mucosa, resultando em necrose e ulceração. A cirurgia é o tratamento inicial, ressecando‐se a parte do intestino afetada e os nódulos linfáticos próximos à região, todavia, o paciente apresentava comprometimento de grande parte do cólon, sendo necessária colectomia total para terapêutica. O CA de cólon é tratável na maioria dos casos, se detectado precocemente, quando não houve metástase. No caso do paciente, a neoplasia foi diagnosticada quando já estava avançada, gerando sintomas, dentre eles a obstrução intestinal e consequente ruptura, mostrando a importância da prevenção do CA colorretal.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools