Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 92-93 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 92-93 (November 2019)
405
Open Access
Diagnóstico por cistoscopia de câncer colorretal com fístula colovesical
Visits
...
M. Aniceto, M.M.S. Craveiro, L.H.C. Saad, R.S. Hossne, A.B. Neto, C.A. Castro, D.M. Shiroma, F.d.S. Zambonini
Universidade Estadual Paulista (Unesp), Botucatu, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças malignas e pré‐malignas dos cólons, reto e ânus

Categoria: Relatos de caso

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Relatar caso de câncer colorretal com fístula colovesical diagnosticado por cistoscopia

Descrição do caso: M.R.K., 84 anos, feminina, hipertensa e diabética, com histerectomia há 20 anos, sem história familiar de neoplasia. Foi atendida no pronto atendimento com queixas de infecção urinária de repetição, astenia e perda de oito quilos em cinco meses. Referia alteração do hábito intestinal, alternando constipação e diarreia. Ao exame físico, estava descorada, emagrecida, abdome doloroso em hipogástrio. Toque vaginal com abaulamento endurecido em parede posterior e resíduos fecais. Toque retal com esfíncter hipotônico e abaulamento endurecido em parede anterior. Exames laboratoriais com anemia (Hb 7g/dL), leucocitose (19.600), elevação de proteína C reativa e análise de urina infecciosa. Submetida a tomografia computadorizada de abdome com contraste endovenoso identificando‐se espessamento do cólon sigmoide, associado a massa heterogênea, de volume aproximado de 237cm3, invadindo a parede posterior vesical e protuindo para o seu interior, associado a focos gasosos. Paciente foi internada e recebeu transfusão de concentrado de hemácias e antibiótico terapia. Realizado retossigmoidoscopia com compressão extrínseca a 25cm da borda anal impedindo a progressão do aparelho, sem lesões endoluminais. Realizado cistoscopia com grumos de material fecaloide intravesical e lesão esbranquiçada em cúpula, biopsiada. O anatomo‐patológico da lesão vesical foi adenocarcinoma de alto grau, e o estudo imuno‐histoquímico, mostrou imunoexpressão para CDX2 sugerindo sítio primário colônico. Exames de estadiamento com CEA 68,15 ng/mL e nódulo espiculado em lobo inferior direito sugestivo de acometimento secundário. Devido idade e estado clínico, paciente foi submetida a transversostomia e encaminhada à quimioterapia paliativa.

Discussão e Conclusão(ões): Fístulas colovesicais são complicações raras, e as causas mais comum são doença diverticular, seguida por doença de Crohn e neoplasia colorretal. A proporção entre homens e mulheres é 3:1, devido ao posicionamento do útero entre a bexiga e o cólon sigmoide. As manifestações mais comuns são infecção do trato urinário, pneumatúria e fecalúria. A cistoscopia é o exame de maior acurácia, mostrando alterações em até 79% dos casos. O câncer colorretal é o terceiro tipo mais frequente em homens e o segundo entre as mulheres. Na suspeita de câncer colorretal, a retossigmoidoscopia permite localizar e realizar biópsia da lesão. A apresentação do câncer colorretal com fístula colovesical é rara e pouco relatada na literatura. Estudo de 2004 com 380 pacientes, somente 11 (2,9%) casos apresentavam fístula, e apenas quatro eram fístulas colovesicais. Conclusão: O caso relata uma manifestação incomum do câncer colorretal. E o diagnóstico patológico foi feito com biópsia por cistoscopia, que não costuma ser um exame rotineiro para diagnóstico desse tipo de neoplasia.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools