Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 77 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 77 (October 2017)
P‐010
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.011
Open Access
DIMENSIONAMENTO DAS MARGENS HISTOLÓGICAS DE ADENOCARCINOMAS DO CÓLON E RETO POR COLORAÇÃO COM AZUL DE METILENO INJETADO PERITUMORAL
Visits
...
Priscila Oliveira Cardosoa, Luciana Maria Pyramo Costab, Ramão Tavares Netoc, Alexandre Miranda Silveirab, Marina Varella Braga de Oliveirad, Jessica Gerundi Guimarãesd, Andy Petroianua
a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil
b Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg), Belo Horizonte, MG, Brasil
c Laboratório de Anatomia Patológica e Citopatologia (Conlab), Confins, MG, Brasil
d Hospital Alberto Cavalcanti (HAC), Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Belo Horizonte, MG, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: No tratamento do adenocarcinoma de cólon e de reto, é fundamental a retirada em bloco do tumor primário, com margens livres de neoplasia, associada à linfadenectomia regional ampla. A determinação adequada das margens de ressecção tumoral define a retirada completa do câncer no local de sua origem. Com a progressão de técnicas menos invasivas, observa‐se a tendência de desenvolver maneiras de avaliar o tumor sem deixar de tratá‐lo adequadamente. A análise anatomopatológica das margens tumorais tem sido cada vez mais adotada. A injeção peritumoral de azul de metileno, por difundir‐se rapidamente nos tecidos, é capaz de indicar a drenagem linfática local.

Objetivo: Analisar a relação entre a margem microscópica do adenocarcinoma de cólon e a margem de difusão do azul de metileno injetado peritumoral, para avaliar a adequação do método de coloração vital na orientação da retirada do câncer colônico com margens cirúrgicas livres de neoplasia.

Método: Foram estudados prospectivamente 13 pacientes com diagnóstico de adenocarcinoma na topografia do cólon descendente, do cólon sigmoide e do reto, submetidos a ressecção cirúrgica. Os cânceres foram estadiados no pré‐operatório. Durante o ato cirúrgico, uma agulha injetora foi introduzida na submucosa através do endoscópio e injetaram‐se 2ml de azul de metileno estéril na concentração de 1% à distância de 1cm da margem tumoral proximal e distal. Depois de retirada a peça cirúrgica, mediu‐se a distância, em centímetros, da margem corada pelo azul de metileno, que foi comparada com a distância de invasão neoplásica transmural, verificada por microscopia óptica.

Resultados: Não foi constatada presença neoplásica além da margem corada pelo azul de metileno.

Conclusões: O corante azul de metileno injetado na região peritumoral do adenocarcinoma de cólon e reto difundiu‐se para uma área maior do que o crescimento transmural do câncer e suspeito de acometimento neoplásico.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools