Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 50 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 50 (November 2019)
853
Open Access
Doença vascular hepática associada a quimioterapia adjuvante no adenocarcinoma colo‐rectal
Visits
...
M.j. Mascarenhas‐Saraiva, P. Pereira, H. Cardoso, G. Macedo
Centro Hospitalar São João, Porto, Portugal
Article information
Full Text

Área: Doenças malignas e pré‐malignas dos cólons, reto e ânus

Categoria: Relatos de caso

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): A quimioterapia baseada em oxaliplatina é frequentemente utilizada no tratamento de várias neoplasias, nomeadamente como terapia adjuvante no adenocarcinoma colo‐rectal. No entanto, um efeito colateral relatado é a síndrome de obstrução sinusoidal, que é caracterizada por um espectro de alterações patológicas, incluindo hiperplasia nodular regenerativa (NRH).

Descrição do caso: A hiperplasia nodular regenerativa é uma condição hepática rara, caracterizada pela transformação benigna disseminada do parênquima hepático em pequenos nódulos regenerativos. Relatamos o caso de um paciente de 50 anos, do sexo masculino, com diagnóstico de adenocarcinoma colorretal pT3N1M0, submetido a hemicolectomia direita e quimioterapia adjuvante com oxaliplatina e leucovorina. No contexto de exame de rotina, realizou endoscopia digestiva alta que detetou varizes esofágicas no terço distal do esófago, tendo iniciado neste contexto profilaxia com betabloqueador. Adicionalmente, foi efetuada hemodinâmica hepática que revelou hipertensão portal leve (gradiente venoso hepático de 7mmHg), sugestivo de boa resposta ao carvedilol. A biópsia hepática estabeleceu a hiperplasia nodular regenerativa como causa da hipertensão portal. Posteriormente, o paciente apresentou episódio de hemorragia digestiva alta por varizes e iniciou o tratamento combinado com laqueação elástica de varizes.

Discussão e Conclusão(ões): Com o aumento da incidência de doenças oncológicas, os médicos devem estar cientes da possível ocorrência e do impacto terapêutico da hiperplasia nodular regenerativa em pacientes tratados com regimes quimioterápicos à base de oxaliplatina, bem como do seu posterior manejo adequado. Com efeito, a avaliação dos efeitos deletérios da Hipertensão Portal nestes doentes deve ser preconizada no seguimento clínico, de forma a otimizar os resultados clínicos.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools