Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 13 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 13 (October 2017)
TL3‐028
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.327
Open Access
DOSE ESCALONADA DE RADIAÇÃO E QUIMIOTERAPIA DE CONSOLIDAÇÃO SÃO SUFICIENTES PARA AUMENTAR AS TAXAS DE PRESERVAÇÃO DE ÓRGÃO NA NEOPLASIA DE RETO CT3
Visits
...
Angelita Habr‐Gamaa, Guilherme Pagin São Juliãoa, Bruna Borba Vailatia, Jorge Sabaggab, Patricia Bailão Aguilarc, Sergio Eduardo Alonso Araújod, Rodrigo Oliva Pereza
a Instituto Angelita e Joaquim Gama, São Paulo, SP, Brasil
b Instituto do Cancer do Estado de São Paulo (Icesp), Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo (FMUSP), São Paulo, SP, Brasil
c Hospital Alemão Oswaldo Cruz, São Paulo, SP, Brasil
d Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: Pacientes com neoplasia de reto cT3 têm menor chance de desenvolver resposta clínica completa (RCC) à quimiorradioterapia neoadjuvante (nQRT) e ainda têm maior risco de recidiva. Nesse contexto, a dose escalonada de radiação e quimioterapia de consolidação foi sugerida para melhorar a resposta do tumor primário e diminuir os riscos de recidiva.

Objetivo: Comparar as taxas de preservação de órgãos e a sobrevida livre de metástases em pacientes cT3 submetidos a diferentes esquemas de QRT.

Métodos: Pacientes com neoplasia de reto distal, cT3, não metastática foram avaliados retrospectivamente. O grupo submetido à QRT padrão (50,4Gy e dois ciclos de quimioterapia baseada em 5FU) foi comparado com os submetidos a QRT estendida (54Gy e seis ciclos de quimioterapia com 5FU). A resposta tumoral foi avaliada em 8‐10 semanas. Pacientes com RCC foram submetidos a estratégias de preservação de órgão (Watch & Wait). Procedimento cirúrgico foi indicado para pacientes com resposta incompleta ou cirurgia de resgate em caso de recorrência local. O modelo de regressão logística de Cox foi usado para identificar características independentes associadas a maior sobrevida livre de cirurgia e de doença metastática a distância.

Resultados: Dos pacientes, 155 receberam o esquema padrão de nQRT e 66 o estendido. No grupo do esquema estendido os pacientes tinham maior tendência a lesões maiores (p=0,02), metástases linfonodais (p<0,001) e tumores mais altos na avaliação inicial (p=0,04). A análise de regressão de Cox revelou que o tipo de nCRT não foi associado a maior sobrevida livre de cirurgia ou de metástases a distância (p>0,05).

Conclusão: A dose escalonada de radiação e quimioterapia de consolidação é insuficiente para aumentar as taxas de preservação de órgão em longo prazo nas neoplasias de reto T3. Além disso, não há benefícios na sobrevida livre de metástases nesse grupo.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools