Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 25-26 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 25-26 (October 2017)
TL6‐058
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.357
Open Access
EFEITO DA DOSAGEM DE CALPROTECTINA EM UM AMBULATÓRIO DE DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL
Visits
...
Pablo Rezende de Oliveira, Gutavo Ambrosi Evangelista, Eliane Sander Mansur, Alexandre Miranda Silveira, Marco Antônio Miranda dos Santos, Fábio Lopes de Queiroz, Sinara Mônica de Oliveira Leite
Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg), Belo Horizonte, MG, Brasil
Article information
Full Text

Objetivo: Avaliar efeito clínico da dosagem de calprotectina fecal em paciente com doença de Crohn (DC), em um ambulatório de doença inflamatória intestinal (DII), em Belo Horizonte.

Método: Estudo unicêntrico, analítico e retrospectivo, que avaliou 22 casos de DC submetidos à avaliação do nível de calprotectina fecal.

Resultados: Dentre os paciente selecionados, 13 (59%) eram do sexo feminino e nove do masculino (41%). A média foi de 42 anos (25‐78 anos). Dos exames, 50% foram solicitados para avaliar o controle terapêutico, 31,8% para avaliar atividade em assintomáticos e 18,2% para avaliar atividade em sintomáticos. Em apenas dois pacientes o resultado da calprotectina não gerou alterações na conduta. Em cinco pacientes ele foi usado para alterar terapêutica. Em sete levou à indicação de novos exames. A dosagem de calprotectina ainda dispensou 12 colonoscopias.

Conclusão: A calprotectina pode ser usada como adjunta aos sintomas clínicos no acompanhamento das DIIs, o torna mais barato e menos penoso. Afinal, em pacientes assintomáticos e sem elevações de calprotectina, o médico poderá abrir mão do uso de exames mais invasivos. Esse marcador fecal ainda pode ser usado para monitorar a terapêutica. Estudos atuais já demonstram a importância da calprotectina na avaliação do efeito e ajuste de dose de biológicos. Hoje existem estudos que permitem a alteração de doses terepêutica apenas com o uso de calprotectina, apesar de esses ainda serem pequenos e com nível de evidência baixo para serem aplicados em nível clínico. Os dados apresentados nessa pesquisa corroboram os achados da literatura, uma vez que a dosagem de calprotectina conseguiu economizar na feitura de exames, ajudar no ajuste de dose terapêutica e a definir o melhor momento para a extensão da propedêutica.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools