Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 83 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 83 (November 2019)
391
Open Access
Emprego de cirurgia citorredutora no tratamento da doença cólica neoplásica metastática multifocal: relato de caso
Visits
...
F.S. Senaa, P.E.L. Ferreirab, B.F.M. Athadeub, R.F. Nogueiraa, L.d.A Barrosoc, M.A.M. dos Santosa, F.L. de Queiroza, S.M.d.O. Leitea
a Hospital Governador Israel Pinheiro (HGIP), Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (IPSEMG), Belo Horizonte, MG, Brasil
b Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto, MG, Brasil
c Hospital Vila da Serra, Belo Horizonte, MG, Brasil
Article information
Full Text

Área: Cirurgia Minimamente Invasiva, Novas técnicas cirúrgicas/Avanços Tecnológicos em Cirurgia Colorretal e Pélvicas e Anorretais

Categoria: Relatos de caso

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Expor a condução de caso complexo empregando terapia citorredutora na doença colorretal metastática multifocal.

Descrição do caso: E.M.S, 62 anos, diagnóstico endoscópico de tumor sigmoideo obstrutivo em 17/07/2017 conjunto a 10 lesões hepáticas focais esparsas e bilaterais evidenciadas em estadiamento tomográfico. Submetida a ressecção laparotômica em monobloco do tumor, tuba uterina esquerda, pólo vesical posterior e segmento omental sob preceitos oncológicos e reconstrução primária intestinal. Análise histopatológica revelou adenocarcinoma moderadamente diferenciado, margens de ressecção livres, 0/15 linfonodos acometidos, sem invasão angiolinfática ou perineural – estádio pT4b pN0, RAS selvagem, iniciando‐se esquema FOLFOX e cetuximabe por 6 meses. Na vigilância pós‐operatória por PET‐CT evidenciou‐se múltiplas lesões hipovasculares e hipermetabólicas em: fígado, nos segmentos III, V, VI, VII e VIII; em cadeias linfáticas retroperitoneais e pélvicas; em 2 focos peritoneais e perianastomose, inviabilizando elegibilidade cirúrgica. Optou‐se por manutenção da terapia sistêmica, trocada por Capecitabina por neuropatia reacional a Oxaliplatina, por 18 ciclos. PET‐CT em 01/2019 evidenciou desaparecimento subtotal das hipercaptações hepáticas, restando 1 nódulo hipermetabólico calcificado no segmento V, foco único paraórtico à esquerda, 2 nódulos peritoneais e hipercaptação de 28mm perianastomótica. Colonoscopia: Sem alterações. A partir de boa resposta à terapia sistêmica, considerou‐se tratamento cirúrgico por citorredução, englobando colecistectomia e metastasectomia hepática em monobloco, linfadenectomia retroperitoneal estendida, omentectomia total, ooforectomia, anexectomia e ressecção cólica segmentar em monobloco com reabaixamento cólico primário. Boa evolução clínica, alta no 4o DPO. Anatomopatologia revelou ausência de neoplasia em todos os espécimes enviados para estudo, descrevendo reação de corpo estranho em topografia anastomótica.

Discussão: Após o estudo PRODIGE 7, a realização de quimioterapia intraperitoneal hipertérmica associada à terapia citorredutora perdeu indicação na doença cólica metastática peritoneal, por aumento de complicações pós‐operatórias, sem alteração de sobrevida global ou taxa de recorrência de doença. Neste caso, atenta‐se para a limitação de métodos imaginológicos mediados por mensuração metabólica na doença neoplásica metastática intestinal, não havendo tecido neoplásico em nenhum dos espécimes cirúrgicos, apesar de apontamento baseado em mensuração topográfica objetiva prévia nos sítios abordados.

Conclusão: Reforçamos a exequibilidade da terapia citorredutora na doença metastática multifocal em casos selecionados, realizada em tempo cirúrgico satisfatório e possibilitando, no caso, a exérese de todos os focos indicados por exame imaginológico de eleição, com recuperação pós‐operatória completa e precoce, consonante com critérios de recuperação acelerada presentes na literatura atual.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools