Journal Information
Vol. 38. Issue S1.
Pages 73-74 (October 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 38. Issue S1.
Pages 73-74 (October 2018)
P230
DOI: 10.1016/j.jcol.2018.08.157
Open Access
ENDOMETRIOSE PROFUNDA COM COMPROMETIMENTO DE RETO BAIXO – OPÇÕES DE TRATAMENTO CIRÚRGICO – RELATO DE CASO E REVISÃO
Visits
...
Stella Maria Botequio Mella, Bruna Dell Acqua Cassão, Elesiario Caetano Junior, Ricardo Tadayoshi Akiba, Sarhan Sydney Saad
Escola Paulista de Medicina (EPM), Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

A endometriose apresenta um comportamento similar às neoplasias, com lesões infiltrativas, multifocais e recidivantes. Acomete mulheres jovens, prejudicando a qualidade de vida, provocando dor incapacitante e comprometendo a maternidade, vida conjugal, profissional e emocional. Nosso objetivo é apresentar um caso de endometriose profunda extensa, cujo tratamento apresentou um desafio para a equipe cirúrgica. Paciente NFL, 36 anos, casada, branca, deu entrada no ambulatório de Proctologia‐Endometriose Profunda do Hospital São Paulo, UNIFESP, com queixa de diarreia, dismenorreia e proctalgia no período menstrual. Exame físico: apenas dor a palpação profunda de hipogástrio e fossa ilíaca esquerda, sem massas ou visceromegalias. A anuscopia: ausência de lesões, com dor ao toque retal. No exame ginecológico: presença de lesão de aproximadamente 2,5cm abaulando fornice vaginal posterior, de superfície irregular, dolorosa ao toque vaginal. Colonoscopia dezembro/2017: pólipo séssil de reto. RNM pelve abril/2018: nódulo retrocervical de 2,6cm, comprometimento de ligamentos uterossacros direito e esquerdo, lesão em reto de 5,2cm de extensão, a aproximadamente 6cm da borda anal, acometendo camada muscular profunda. USG transvaginal com preparo de colon (maio/2018): lesão em placa que infiltra fórnice e septo retovaginal, de textura homogênea, aderida ao reto baixo/médio, de 4,2×1,8×3,1cm; ligamentos uterossacros espessados, de 6,6cm a direita e 8,6cm a esquerda; lesão em reto baixo de 5,7×0,8×2,3cm, invadindo submucosa, a aproximadamente 4cm da borda anal. Indicada cirurgia videolaparoscópica em conjunto com a equipe da Ginecologia. Realizada retossigmoidectomia acompanhada de exérese de focos de endometriose e ileostomia protetora em alça, no dia 23/05/2018. Paciente apresentou boa evolução clínica e laboratorial, com dor nos três primeiros pós operatórios, associada ao dreno de blake. Este mostrou‐se seroso, sendo retirado no 4° pos operatório, com melhora da dor. Optada por conversão da ileostomia protetora em 45 dias de pós operatório. A eficácia do tratamento clínico da endometriose com comprometimento intestinal é apenas encontrada em publicações de casos isolados. O tratamento clínico hormonal não apresenta uma resposta adequada nestes casos, tornando o tratamento cirúrgico como primeira escolha. O atraso no diagnóstico torna a extensão da doença um desafio cada vez maior para os cirurgiões a fim de realizar uma opção cirúrgica mais conservadora.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools