Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 41-42 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 41-42 (November 2019)
588
Open Access
Enterocolite por hiv
Visits
...
I.A. Gonçalves, C.B.Sd. Araújo, H.P. Castro, B.D.Md. Moura, R.Md. Almeida, S.Dd. Morais Junior, C. Barbosa, F.B.Ld.S.Gd. Oliveira
Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, Brasil
Article information
Full Text

Área Doenças Infecciosas

Categoria Relatos de caso

Forma de Apresentação Pôster

Objetivo(s) Muitas das doenças gastrointestinais associadas ao HIV tornaram‐se menos comuns nas últimas duas décadas. Ainda assim, a presença de casos de enteropatia por HIV associadas a infecções por protozoários como o Cryptosporidium deve ser levada em consideração, tendo em vista que a diarreia afeta negativamente a qualidade de vida do paciente. Além disso, existem estudos comprovando relação direta entre algumas colites e a terapia anti‐retroviral (TARV) utilizada, sendo um motivo comum para a descontinuação do tratamento.

Descrição do caso Sexo feminino, 49 anos, natural e residente em Gama‐DF, divorciada, técnica de enfermagem. Diagnóstico de HIV desde 2019 já com manifestação de neurotoxoplasmose em 2019 e CD4 de 43, sendo iniciada TARV. Internada no Hospital Universitário de Brasília devido a dor abdominal, vômitos e diarreia crônica, realizou colonoscopia que constatou intenso processo inflamatório, atrofia das vilosidades no íleo terminal, presença de intenso processo inflamatório, com perda do padrão vascular e da arquitetura colônica, enantema e ulcerações aftoides do cólon descendente ao ceco e divertículos em cólon esquerdo. Foram realizadas biopsias. O histopatológico evidenciou alterações citoplasmáticas compatíveis com apoptose em base de criptas colônicas compatível com enterite por HIV e foi ainda visualizado o Cryptosporidium.

Discussão e Conclusão(ões) Apesar do avanço da TARV, a diarreia ainda é comum na população com HIV reduz a qualidade de vida e sobrevivência. Estima‐se que a diarreia ocorra em cerca de 90% de pacientes com HIV/AIDS em países em desenvolvimento, e 30 a 60% nos países desenvolvidos. O Cryptosporidium ‐ apresentado pela paciente do relato ‐ está entre os patógenos mais comuns representando até um terço dos casos de diarreia em pacientes com HIV (principalmente naqueles com contagem de células CD4<100). Nesse caso, além da infecção por Cryptosporidium houve ainda sinais de lesão direta do vírus HIV às células intestinais, situação rara nos dias de hoje. O quadro clínico pode ser desde oligossintomático e auto‐limitado até a desidratação grave, perda de peso, desnutrição, hospitalização e morte. Outros sintomas incluem cólicas abdominais, anorexia náuseas, vômitos, fadiga e febre baixa. O tratamento deve ser administrado precocemente. Isto deve incluir uma combinação de antibióticos e a reconstrução do sistema imunológico. Colonoscopia e biópsia pode ser garantida durante a avaliação, a fim de diagnosticar definitivamente ou descartar doença. É necessário que haja uma boa relação médico‐paciente para que não haja interrupção do tratamento, fato muito comum atualmente.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools