Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 160 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 160 (October 2017)
P‐202
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.203
Open Access
EPIDEMIOLOGIA DA HÉRNIA INGUINAL NA POPULAÇÃO BRASILEIRA
Visits
...
Livia Akemi Ramos Takahashi, Luís Renato Rodrigues Arnoni, Débora Terra Cardial
Faculdade de Medicina do ABC (FMABC), Santo André, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A hérnia inguinal é uma morbidade cirúrgica comum que atinge todas as faixas etárias. Embora manifeste considerável prevalência, poucos são os estudos que tentam traçar um perfil epidemiológico dela.

Objetivo: Descrever a epidemiologia da hérnia inguinal na população brasileira de janeiro de 2015 a setembro de 2016.

Método: Estudo descritivo de abordagem quantitativa baseado na análise de dados secundários retirados do Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS). Assim, não foi necessária apreciação do comitê de ética, devido à resolução do Conselho Nacional de Saúde 510/2016, artigo 1°, parágrafo único. Foram consideradas todas as internações provenientes de hospitais públicos e/ou privados ocorridas em todas as faixas etárias. A estatística descritiva foi feita com base em valores de frequência absoluta e relativa. O programa estatístico usado foi o Stata 11.0.

Resultados: A Região Sudeste foi a que apresentou a maioria dos casos de internações por hérnia inguinal (39,17%) em comparação com as outras. Além disso, o caráter de atendimento eletivo teve destaque durante o período analisado e o regime privado de atendimento foi o mais procurado. O sexo masculino apresentou mais internações por hérnia inguinal (84,65%). As faixas etárias que apresentaram as maiores frequências de internações foram as de 50 a 59 anos e de 60 a 69 anos. Houve diferença entre a taxa de mortalidade bruta e a taxa de mortalidade ajustada para população padrão. No período analisado, a maior taxa de mortalidade bruta foi acima dos 80 anos. Após o ajuste, em 2015, a maior taxa de mortalidade foi de 65 a 69 anos e em 2016, de 70 a 74 anos.

Conclusão: As taxas de mortalidade da hérnia inguinal se mostraram baixas de forma geral, mas o predomínio da morbidade foi no sexo masculino, confirmou a antiga tendência.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools