Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 151-152 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 151-152 (November 2019)
841
Open Access
Existe atraso no diagnóstico de pacientes com endometriose? estudo transversal sobre o tempo decorrente entre o início dos sintomas e o diagnóstico da doença
Visits
...
K.L. Augustoa, L.B. Verasa, E.S. Correiaa, C.E.L. Soaresb, E.A. Rolimb
a Maternidade Escola Assis Chateaubriand (MEAC), Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, CE, Brasil
b Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, CE, Brasil
Article information
Full Text

Área: Cirurgia Minimamente Invasiva, Novas técnicas cirúrgicas/Avanços Tecnológicos em Cirurgia Colorretal e Pélvicas e Anorretais

Categoria: Pesquisa básica

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Apresentar o tempo entre o início dos sintomas e o diagnóstico de endometriose em pacientes submetidos a ressecção cirúrgica em serviço de ginecologia e coloproctologia em hospital de referência da região Nordeste entre janeiro de 2018 e julho de 2019.

Método: Estudo retrospectivo com revisão de prontuários de 90 pacientes acompanhadas no serviço de ginecologia e coloproctologia por cirurgia de ressecção de focos de endometriose, elaboração de planilha e análise de dados através do sotware GraphPad Prism®.

Resultados: A amostra foi composta por 90 pacientes. A idade de início dos sintomas teve média de 28,5 anos±9,35 anos (11–51a) e idade ao atendimento ambulatorial teve média de 34,3 anos±7,13 anos (20–54a). 73 pacientes (81%) tiveram início dos sintomas com idade menor ou igual a 35 anos. O tempo médio entre o início dos sintomas e o primeiro atendimento ambulatorial foi de 5,86 anos±5,48 anos (0–25a). Do total de pacientes, 41 (45%) tiveram intervalo entre o início dos sintomas e o atendimento ambulatorial maior ou igual a 5 anos e 18 pacientes (20%) tiveram atraso maior ou igual a 10 anos.

Conclusão(ões): A endometriose é uma doença ginecológica caracterizada pelo desenvolvimento de estroma e glândulas endometriais fora da cavidade uterina, acometendo mulheres em idade fértil, com incidência de 5 a 15% durante o período. Neste estudo, demonstramos uma média de intervalo entre o início dos sintomas e o atendimento ambulatorial menor que a média em outros estudos. A importância do diagnóstico precoce é justificada pela possibilidade de tratamento mais cedo e recuperação das pacientes, com redução dos quadros álgicos e possibilidade curativa para quadros como infertilidade, presente em aproximadamente 50% das pacientes com idade jovem. Em conclusão, no serviço especializado em endometriose do Ceará o tempo entre o início da sintomatologia clínica da doença e o diagnóstico, seguido do tratamento, foi menor quando comparado a outros estudos e casuísticas, porém ainda é longo, em torno de 5 anos, possibilitando a progressão da doença para estágios mais graves. É necessária maior conscientização dos profissionais de saúde para os sintomas e o diagnóstico precoce.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools