Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 173 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 173 (October 2017)
P‐234
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.235
Open Access
EXPRESSÃO TECIDUAL DA PROTEÍNA COX‐2 EM PACIENTE PORTADOR DE ADENOMA GIGANTE HIPERSECRETOR DO RETO (SÍNDROME DE MCKITTRICK‐WHEELOCK)
Visits
...
Carlos Augusto Real Martinez, Lílian Vital Pinheiro, Michel Gardere Camargo, João José Fagundes, Maria de Lourdes Setsuko Ayrizono, Cláudio Saddy Rodrigues Coy
Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A síndrome de McKittrick‐Wheelock (SMW) caracteriza‐se pela presença de adenoma gigante hipersecretor colorretal, diarreia mucoide intensa associada a distúrbios hidroeletrolíticos graves que podem ocasionar insuficiência renal e óbito. A diarreia na SMW encontra‐se relacionada à maior produção tecidual de PGE‐2 e COX‐2 nos adenomas.

Objetivo: Relatar um caso da SMW que apresentava hiperexpressão tecidual de COX‐2.

Relato do caso: Homem, 49 anos, queixava‐se de diarreia frequente e hematoquezia havia três anos que necessitou de internação por desidratação. Havia cinco dias referia agravamento da diarreia acompanhado de astenia, câimbras e prostação. Ao exame, apresentava‐se em REG, descorado, desidratado, taquicárdico e hipotenso. O exame abdominal era normal. No toque retal identificava‐se tumor localizado a 3cm da margem anal, amolecido, móvel, comprometia todo o reto. Os exames laboratoriais mostraram: hipopotassemia, hiponatremia, hipocloremia e elevação da creatinina. Foi encaminhado para colonoscopia, que identificou extensa lesão vegetante, que se iniciava 1cm acima da linha pectínea e se estendia até 18cm da margem anal. O exame histopatológico diagnósticou adenoma túbulo‐viloso com displasia de alto grau. Submetido a RM da pelve, verificou‐se que a lesão restringia‐se à camada mucosa, não se identificaram linfonodos suspeitos no mesorreto. Pela impossibilidade de ressecção endoscópica, foi indicada retossigmoidectomia com excisão total do mesorreto e reconstituição do trânsito por anastomose coloanal manual com confecção de coloplastia e ileostomia de proteção. Evoluiu favoravelmente e recebeu alta no 8° dia de pós‐operatório. O exame histopatológico identificou adenocarcinoma intramucoso em adenoma túbulo‐viloso do reto, media 17 x 16 x 2cm, com margens distal e radial livres de comprometimento e ausência de metástases nos 44 linfonodos ressecados. A microscopia identificou grande quantidade de células mucosecretoras cujo estudo imuno‐histoquímico mostrou‐se fortemente positivo para COX‐2. Atualmente o doente encontra‐se no 8° mês de pós‐operatório, sem disfunções geniturinárias, aguarda o fechamento da ileostomia. Adenomas túbulo‐vilosos hipersecretores do reto presentes na SMW apresentam aumento da expressão tecidual de COX‐2.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools