Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 156-157 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 156-157 (November 2019)
408
Open Access
Fatores preditores de resposta patológica completa após quimiorradioterapia neoadjuvante para câncer de reto
Visits
...
F.S. Senaa, LdA. Barrosob, R.F. Nogueiraa, M.A.M. dos Santosa, SMdO. Leitea, PHdO. do Nascimentoc
a Hospital Governador Israel Pinheiro (HGIP), Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (IPSEMG), Belo Horizonte, MG, Brasil
b Hospital Vila da Serra, Belo Horizonte, MG, Brasil
c Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto, MG, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças malignas e pré‐malignas dos cólons, reto e ânus

Categoria: Pesquisa básica

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Identificação de fatores preditores clínicos, no pré‐operatório, associados a resposta patológica completa (RPC) do câncer retal após quimiorradioterapia neoadjuvante por meio de revisão de prontuários entre 2015 e 2018 no Hospital Governador Israel Pinheiro em Belo Horizonte.

Método: Realizada revisão de prontuários dos pacientes submetidos a tratamento combinado do câncer de reto localmente avançado entre 2015 e 2018 no Hospital Governador Israel Pinheiro em Belo Horizonte, com inclusão de 27 pacientes. Dados avaliados: nível sérico de CEA no pré‐operatório, tabagismo, uso de estatina, estadiamento radiológico local e linfonodal do tumor, distância do tumor com relação a borda anal baseado nas imagens da ressonância e intervalo de tempo entre o término da QRT e a cirurgia.

Resultados: Dentre os pacientes avaliados, 51,9% eram mulheres, 77,8% eram não tabagistas, 74,1% não usavam estatinas e a idade média era 63 anos. A dosagem mediana do CEA pré‐operatório foi de 3,14 ng/mL. A localização média dos tumores foi de 5,74cm da borda anal; 59,3% das lesões foram classificadas como T3 e 77,8% tinham acometimento linfonodal. A mediana de tempo entre o término da QRT e a cirurgia foi de 15 semanas, sendo que 76,9% dos pacientes foram submetidos a tratamento cirúrgico após 12 semanas. A técnica cirúrgica mais utilizada foi a ressecção anterior do reto com ETM, em 74,1% dos casos.

Conclusão(ões): Na nossa instituição, 33% dos pacientes tratados alcançaram RPC, valores consistentes com a literatura. No entanto, não foi identificada variável, estatisticamente significante, envolvida na previsão pré‐operatória a RPC neste estudo. Já na literatura mundial, menores níveis de CEA no pré‐operatório, uso de estatina, ausência de tabagismo, envolvimento linfonodal negativo, tamanho tumoral (menor que 5cm) e mediana de intervalo entre a QRT e a cirurgia maior que 8 semanas, foram fatores preditivos independentes para RPC. O tumor de reto é uma doença complexa, com respostas heterogêneas ao tratamento padronizado. Apesar da literatura apontar algumas variáveis como preditivas de resposta patológica completa, não foi conseguida significância estatística no presente estudo. No entanto, a identificação e padronização de preditores de RPC é altamente desejável para uma gestão mais racional e personalizada do câncer retal.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools