Journal Information
Vol. 38. Issue S1.
Pages 120 (October 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 38. Issue S1.
Pages 120 (October 2018)
TL102
DOI: 10.1016/j.jcol.2018.08.257
Open Access
GRAU DE SATISFAÇÃO DE PACIENTES SUBMETIDOS À DESARTERIALIZAÇÃO HEMORROIDÁRIA GUIADA POR DOPPLER E AVALIAÇÃO DE SUAS PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES EM UM HOSPITAL DA BAHIA
Visits
...
Arthur Rosado de Queiroz, Ursula Araújo de Oliveira Galvão Soares, Aline Landim Mano, Lina Maria de Goes Codes, Isabela Dias Marques da Cruz, Elias Luciano Quinto de Souza, Euler de Medeiros Azaro Filho
Hospital São Rafael, Salvador, BA, Brasil
Article information
Full Text

Objetivo: Avaliar por meio de questionário telefônico, o grau de satisfação, o índice de sangramento, de dor pós‐operatória e taxa de recidiva de pacientes submetidos à técnica de desarterialização hemorroidária guiada por Doppler associada a enteropexia para tratamento de doença hemorroidária.

Método: Em estudo de coorte retrospectiva envolvendo total de 54 pacientes no pós‐operatório de desarterialização hemorroidária guiada por Doppler associada a enteropexia para tratamento de doença hemorroidária de 3° e 4° grau, no período de junho de 2012 a fevereiro de 2018, foi aplicado um questionário composto por 05 perguntas. O questionário tinha como objetivo fornecer resultados sobre o grau de satisfação dos pacientes com o procedimento cirúrgico e avaliar as principais complicações cirúrgicas do mesmo, através de perguntas objetivas, sucintas e de fácil compreensão.

Resultados: Dos 54 pacientes entrevistados, o questionário foi aplicado a 22 deles, pois não foi possível o contato com 28 pacientes, dois pacientes recusaram‐se responder o questionário e dois foram à óbito por causas não relacionadas ao procedimento durante o período. Após aplicação do questionário, 86% dos pacientes classificaram‐se como muito satisfeitos com a técnica. Dezoito por cento dos pacientes informaram episódios de sangramento após o procedimento, 27% tiveram algum grau de dor nos primeiros 30 dias pós‐operatórios e apenas três dos 22 pacientes apresentaram recidiva da doença. Dos pacientes com recidiva, um precisou passar por outra cirurgia após a técnica descrita.

Conclusão: Após análise dos resultados, conclui‐se que apesar das limitações do método, é possível a aplicação do questionário por via telefônica. O estudo mostrou que a grande maioria dos pacientes entrevistados (86%) ficaram satisfeitos com o procedimento cirúrgico, um pequeno percentual apresentou complicações (dor e sangramento) e recidiva da doença, corroborando com os resultados de trabalhos recentes, que comprovam a segurança e eficácia clínica da desarterialização hemorroidária guiada por doppler associada a enteropexia para o tratamento da doença hemorroidária.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools