Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 95 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 95 (October 2017)
P‐051
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.052
Open Access
HAMARTOMA CÍSTICO RETRORRETAL
Visits
...
Amanda Machado Bernardo Ziegler, Natalia Barros Pinheiro, Guilherme Cutait de Castro Cotti
Hospital Sírio‐Libanês, São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: Hamartoma cístico retrorretal (HC) caracteriza‐se como lesão congênita rara que acomete principalmente mulheres jovens, pode também acometer crianças. Pode surgir a partir de remanescentes do intestino posterior embrionário. Em geral multiloculados, são revestidos por uma variedade de epitélios, porém a presença do epitélio colunar/transição é necessária para distingui‐los. A raridade da lesão e sua posição anatômica dificultam o diagnóstico e o seu manejo cirúrgico. O diagnóstico torna‐se muitas vezes um achado ocasional.

Relato de caso: G.S.M., 44 anos, feminina, assintomática, apresentou em exame de imagem ocasional lesão retrorretal multisseptada. Ao toque retal notava‐se massa palpável em parede posterior direita do reto, discretamente móvel. RNM de pelve revelou formação cística multisseptada e multiloculada com áreas internas hemáticas/hiperproteicas localizadas na região retrorretal/pré‐sacral paramediana direita, media 4,0 x 2,4 x 3,3cm, no nível das últimas peças sacras mantinha contato com o músculo elevador do ânus direito e leve compressão sobre a parede posterior do reto (cisto de tailgut?). Trata‐se de paciente com diagnóstico de lesão retrorretal sugestivo de tailgut cyst. Optou‐se pela ressecção cirúrgica, que se deu por via de acesso posterior (Kraske), com achado de lesão multilobulada posterior ao sacro, sem sinais de invasão local. Feitas ressecção da lesão e congelação intraoperatória, seguidas da drenagem da loja. Anatomopatológico: lesão multicística com revestimento epitelial das cavidades ora estratificado pavimentoso ceratinizado, ora pseudoestratificado colunar e por vezes mucinoso; os cistos são envolvidos por tecido conjuntivo fibroso com esparsos feixes musculares, discreto infiltrado linfoplasmocitário e focos de reação do tipo corpo estranho; presentes focos de epitélio sem atipias coincidentes com os limites de secção. Não encontrados tecido mesenquimal heterólogo, elementos neurais, anexos cutâneos e tecidos imaturos.

Conclusão: Hamartoma cístico retrorretal. Paciente evolui com alta hospitalar no quarto dia de pós‐operatório e seguimento ambulatorial.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools