Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 153-154 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 153-154 (October 2017)
P‐186
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.187
Open Access
IMPACTO DA MANOMETRIA ANORRETAL COM SONDA DE MICROBALÕES (“LATITUDE”) NO DIAGNÓSTICO DAS ALTERAÇÕES FUNCIONAIS ANORRETAIS. ESTUDO MULTICÊNTRICO
Visits
...
Yara Lima de Mendoncaa,b, Helena Coelho Limab, Miguel Jose Mascarenhas Saraivab, Gisela Pereirab, Miguel Nuno Mascarenhas Saraivab
a Hospital Municipal Ronaldo Gazolla (HMRG), Rio de Janeiro, RJ, Brasil
b Laboratório de Endoscopia e Motilidade Digestiva (ManopH), Instituto CUF Porto, Porto, Portugal
Article information
Full Text

Introdução: A manometria anorretal é uma ferramenta de grande utilidade na avaliação de perturbações funcionais. Recentemente, a disponibilidade de hardware de pequenas dimensões, acoplado a computadores portáteis, com tecnologia dos cateteres de microbalão de ar (“latitude”), permite maior mobilidade. Desse modo, é possível o transporte da tecnologia entre centros.

Objetivos: Avaliação retrospectiva dos resultados obtidos na avaliação de doentes com manometria anorretal efetuada com sistema portátil com cateter “Latitude”, feita sequencialmente em três centros.

Material e métodos: Foram 182 doentes (sexo masculino: 28; feminino: 159), entre 12 e 85 anos (média: 57,6). Indicações: obstipação: 35; dor anal: 20; disquesia: 32; incontinência: 84 (dos quais 12 com lesão esfincteriana conhecida). Outras indicações: 11 (prolapso, três; complicações pós‐operatórias, dois; esclerose múltipla, um).

Metodologia: Equipamento de manometria Solar GI (fabricante: MMS), com software apropriado. Cateter manometria anorretal com quatro microbalões “Latitude” (fabricante: MMS), espaçados entre si de 1cm, com montagem de um balão rectal na ponta. Parâmetros avaliados: pressão de repouso, comprimento funcional do canal anal (N>3cm), pressão de contração voluntária, reflexos da tosse, a estimulação perineal e a distensão retal, avaliação em esforço defecatório, sensibilidade retal.

Resultados: Não existiram diferenças no comprimento funcional do canal anal; 17,1% dos doentes avaliados por obstipação tinham dissinergia do pavimento pélvico. Apenas 10% dos doentes com dor anal tinham pressão anal de repouso aumentada. Nos doentes com incontinência e lesão esfincteriana, 58,3% tinham pobre contração voluntária. Nos doentes com incontinência sem lesão esfincteriana, 75% dos doentes sem lesão esfincteriana tinham pobre contração voluntária; 32,4% dos doentes com incontinência tinham capacidade retal aumentada. Apenas 6% dos doentes com disquesia evidenciaram dissinergia no estudo em esforço defecatório

Conclusões: A manometria anorretal com sonda “Latitude” permite a caracterização funcional das perturbações funcionais da região anorretal, aprimora a abordagem diagnóstica e terapêutica.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools