Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 154-155 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 154-155 (October 2017)
P‐189
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.190
Open Access
IMPACTO DA MANOMETRIA ANORRETAL DE ALTA RESOLUÇÃO NO DIAGNÓSTICO DAS ALTERAÇÕES FUNCIONAIS ANORRETAIS
Visits
...
Yara Lima de Mendonçaa,b, Helena Coelho Limaa, Miguel Jose Mascarenhas Saraivaa, Miguel Nuno Mascarenhas Saraivaa
a Laboratório de Endoscopia e Motilidade Digestiva (ManopH), Porto, Portugal
b Hospital Municipal Ronaldo Gazolla (HMRG), Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A manometria anorretal é uma ferramenta útil para o esclarecimento de perturbações funcionais dessa região. Mais recentemente, a tecnologia da manometria de alta resolução tem sido aplicada a esse método, tem como principal vantagem uma apreciação dinâmica tridimensional.

Objetivos: Avaliação retrospectiva dos resultados obtidos na avaliação de doentes estudados com manometria anorretal de alta resolução.

Material e métodos: Foram 35 doentes (sexo masculino: 13; feminino: 22), entre seis e 85 anos (média: 49,3). Indicações: obstipação: quatro; dor anal: 11; disquesia: seis; incontinência: 11 (dos quais três com lesão esfincteriana conhecida); outras indicações: três (lesão medular, um; esclerodermia, um; paramiloidose, um).

Metodologia: Equipamento de manometria Solar GI (fabricante: MMS), com software apropriado. Cateter de Solid State com oito canais para o canal anal, distanciados de 8mm (circulares, com medição a 90°, permite configuração 3D), e um canal para medição de pressão a partir de um balão rectal. Parâmetros avaliados: pressão de repouso, comprimento funcional do canal anal (N>3cm), pressão de contração voluntária, reflexos da tosse, da estimulação perineal e da distensão retal, avaliação em esforço defecatório (clas de Rao), sensibilidade retal.

Resultados: Destacam‐se os seguintes: doentes avaliados por obstipação: todos sem dissinergia; dor anal: só 18% tinham hipertonia anal, um com dissinergia; incontinência: 40% com alteração da sensibilidade retal. Na incontinência com lesão de esfíncteres: todos com hipotonia, um caso de dissinergia; incontinência sem lesão esfincteriana: 50% com pressão de repouso normal, 25% com contração voluntária normal; 2/6 doentes com disquesia tinham dissinergia.

Conclusões: O estudo manométrico anorretal forneceu dados importantes para o planejamento da terapêutica. A manometria anorretal de alta resolução aumenta a nossa capacidade de compreensão da fisiopatologia da disfunção.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools